Reparos, trocas de peças e consertos em geral nos nossos aparelhos celulares são situações extremamente recorrentes em nossas vidas. Levar os aparelhos para técnicos ou em lojas especializadas geralmente não envolve muitas preocupações.

É claro que você provavelmente já pensou que aquelas pessoas poderiam ter acesso aos arquivos que lá estão armazenados, mas a confiança e o uso de senhas são primordiais para momentos como esse.

Porém, nem sempre a privacidade do cliente é respeitada. Louise Johnson, uma britânica de 28 anos, recentemente danificou a tela e a bateria de seu celular e teve que levá-lo para conserto. O que ela não esperava é que teria que passar por um momento desagradável.

Louise Johnson / LADBible

A jovem levou o aparelho ao estabelecimento ‘The Mobile Doctor’ em Worcester, na Inglaterra, e descobriu que um dos funcionários começou a olhar, sem permissão, as fotos íntimas que ela guardava em seu celular.

A jovem disse que tentou pegar o aparelho, mas o homem arrancou o celular de suas mãos. Assim, ela chamou imediatamente a polícia e foi possível comprovar o ocorrido por meio de imagens de câmeras de segurança. O técnico estava há 15 minutos observando imagens íntimas da mulher de biquíni.

“Algumas eram pessoais para mim. Haviam fotos minhas de biquíni e calcinha que eram bastante íntimas. Eram fotos que mandei para um namorado e para mais ninguém”, disse a mulher sobre o conteúdo das fotos.

Além disso, Louise deixou claro que se sentiu violada e que estava chateada e em estado de choque total. “Eu não conseguia acreditar no que estava acontecendo (…) É assustador e pervertido passar pelas fotos privadas de outra pessoa sem a permissão dela.”

Louise Johnson / LADBible

A jovem tentou obter informações sobre o homem, mas a polícia não permitiu que os dados fossem acessados.  “Eu quase caí em choque (…) Um homem estranho pode ver minhas fotos privadas sem permissão, mas sua identidade é protegida por proteção de dados. Como é isso?”, questionou.

Pelo menos, a empresa responsável informou Louise de que o funcionário foi demitido e, além disso, pediram desculpas pelo acontecimento infeliz.

Com informações de UPSOCL

RECOMENDAMOS




LIVRO NOVO: FABÍOLA SIMÕES







As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.