O Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) decidiu, finalmente, finalizar 22.000 pedidos de residência que estavam pendentes desde 2017. Desses 22.000 pedidos, 17.000 pertencem a brasileiros imigrantes que já possuíam contratos de trabalho há anos no país. O fato de os brasileiros representarem quase 80% do total de pedidos pendentes não é surpresa, visto que a quantidade desses cidadãos sul-americanos vem crescendo muito nos últimos 4 anos (só no ano passado, por exemplo, o SEF emitiu mais de 40.000 vistos de residência a brasileiros).

Desde 2017 até 2021 a quantidade de brasileiros no território lusitano só vem crescendo, chegando a quase 184.000 (quase 28% de toda população de expatriados em Portugal). É interessante notar, entretanto, que o SEF não considera como brasileiros aqueles que possuem dupla cidadania (seja uma delas portuguesa ou de qualquer outro país membro da EU), fazendo com que as estimativas, segundo o Itamaraty, cheguem a pelo menos 300.000 cidadãos do país latino-americano morando lá.

Esses números também não incluem aqueles que não finalizaram o processo de regularização do visto de residência, sendo possível estimar que a quantidade real seja ainda maior que 300.000 cidadãos morando em Portugal. Na tentativa de regularizar essa situação é que o SEF se encontra incansavelmente finalizando todos os pedidos que foram feitos desde 2017.

De todas as cidades portuguesas, Lisboa é, sem dúvida, a mais disputada para se estabelecer moradia. É muito difícil resistir aos charmes da cidade grande que não dorme cheia de restaurantes, bares e cafeterias capazes de agradarem a todos os gostos, combinados com museus e monumentos históricos que trazem uma atmosfera centenária para a cidade. Isso tudo sem contar na imensa oportunidade de empregos e no fato de ser o centro econômico do país. Mas como nem tudo é flores, Lisboa continua a ser o local mais caro para se viver em Portugal, sendo que em outubro de 2021 a imobiliária

Imovirtual registrou um valor de aluguel médio de 1276€ mensais (o qual pode parecer absurdo para Portugal, mas se comparado com outras cidades grandes europeias como Paris ou Londres, acaba sendo incrivelmente acessível).

Os valores altos da capital portuguesa desanimam a muitos, fazendo com que escolham outros lugares para se mudar. Cidades como Guarda, Castelo Branco e Portalegre apresentam valores de aluguel baixíssimos (413€, 379€ e 420€, respectivamente) e costumam ser muito procuradas pelos brasileiros (Castelo Branco é, na verdade, a área mais querida pelos brasileiros depois de Lisboa). Querendo ou não, Portugal é muito fácil para se locomover, não impedindo a possibilidade de começar uma vida nova no interior e eventualmente se mudar para Lisboa ou Porto. Principalmente porque o governo português anunciou, recentemente, que dará auxílio financeiro para os brasileiros que desejarem povoar o interior do país.

Photo by Håkon Grimstad on Unsplash

RECOMENDAMOS




LIVRO NOVO: FABÍOLA SIMÕES







As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.