A britânica Josie King, de 27 anos, tem sido bastante criticada nas redes sociais após aparecer no programa televisivo “Plymouth Live”, que na ocasião abordava o tema ‘nomes diferentes que os pais dão para seus bebês’. Na atração, a jovem revelou que registrou seu filho como Lucifer, e que alguns dos seus parentes a criticavam muito por isso. Depois que o programa foi exibido, ela passou a receber ainda mais críticas, muitas deles bastante indignadas.

“Não havia nenhuma inspiração para o nome. Eu olhei muitos livros de bebês e gosto de nomes incomuns. Não gosto de ter os nomes padrão. […] Gosto do nome porque gosto, não acho que represente o diabo, aos meus olhos. Se o diabo fosse chamado de outra coisa, você também não gostaria desse nome. É sobre a mentalidade das pessoas com o nome. As pessoas me perguntam por que, mas eu digo por que não?”, disse Josie ao portal The Mirror.

Josie, que também tem uma filha com seis nomes do meio, explicou que o nome Lucifer simplesmente surgiu em sua mente. Segundo ela, se tivesse engravidado novamente de uma menina, o nome da bebê seria Narnia.

“Quando escolhi o nome dele sabia que as pessoas não iriam gostar, mas não depende delas. Eu tinha alguns membros da família dizendo ‘você não pode chamá-lo assim’, mas eu disse que não sou religiosa, então (o nome Lucifer) não representa (pra mim) o que outras pessoas pensam que representa. Mas meu pai sabe como eu sou e que eu gosto de ser única, então ele disse ‘parece com você'”, disse ela.

A mãe revelou ainda que, apesar de receber muitos comentários indignados, também lhe foram deixadas declarações de apoio.

“Eu recebi muito ódio desde que apareci em Jeremy Vine (nome do apresentador), mas ainda não muda minha opinião, não me arrependo de escolher esse nome.”, finalizou.

***
Redação Conti Outra, com informações de O Globo.
Fotos: Divulgação.

RECOMENDAMOS




LIVRO NOVO: FABÍOLA SIMÕES







As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.