Durante o velório de Susana Naspoli, que faleceu de um câncer na bacia, a mãe dela, Dona Maria, contou que a jornalista partiu de mãos dadas com filha, Julia, de 16 anos.

“Ela ficou muito aturdida, muito agitada. Perdidinha, porque ela acompanhou a mãe no leito. Ela deitava do lado da mãe no hospital e ficou ali, até a mãe falecer, de mãos dadas. E ela ficou bem desorientada mesmo. E eu comecei a ficar muito preocupada em vê-la daquele jeito. Tem gente que não acredita em milagre, mas eu acredito. Foi o milagre da Susana. Quando ela viu que a mãe tinha falecido, disse: ‘É, pessoal, vamos resolver os problemas agora’. Levantou e começou a ajudar todo mundo a fazer o que precisava. E ficou ativa nessa atividade. Porque tinham muitas coisas para resolver no hospital. Ela ajudou muito, está aguentando bem. Claro que é uma adolescente, mas acredito muito em milagres. Ela tem muita fé e eu também. A Susana deu esse exemplo para ela. E acho que ela vai ser bem sustentada por esse fé e vai ser bem encaminhada na vida. Porque o legado da Susana para ela foi esse e ela está muito disposta a segui-lo”, disse Dona Maria à Quem.

Dona Maria contou ainda que a adolescente, que perdeu o pai aos 8 anos, contará com o apoio de seus familiares e que não está sozinha: “A Julinha tem uma compreensão absurdamente além da idade que ela tem. A gente sempre também foi muito aberto com ela. A nossa família, a minha família particularmente, é muito próxima dela. Ela nunca perdeu os vínculos com Criciúma, com Santa Catarina. As duas sempre foram para lá em qualquer oportunidade. Isso eu estou insistindo muito com ela: ‘Julia, você perdeu a mãe, o pai, mas somos todos uma família. Conta sempre com isso. Perdeu duas pessoas que você ama muito, está sofrendo, mas nós somos sua família. E você não se preocupa com isso que nós vamos ser sua família”.

Na semana passada, a jovem postou um vídeo no perfil da mãe no Instagram explicando a condição de saúde da jornalista, que era considerada gravíssima pelos médicos, e pedindo orações.

“Ela estava com metástase no osso da bacia, já tinha se espalhado pra medula óssea desde julho. Então, ela vinha com uma quimioterapia mais forte, que fez ela perder o cabelo. Mas a metástase se espalhou por vários outros órgãos, entre eles o fígado. O fígado tá muito comprometido. Ele [o médico] disse que não sabem mais o que fazer, não sabem se tem mais alguma coisa pra ser feita, e o estado dela é muito grave. Eu não sei o que fazer”, disse a jovem, na ocasião.

***
Redação Conti Outra, com informações do Splash/UOL.
Fotos: Reprodução/Instagram.

RECOMENDAMOS




LIVRO NOVO: FABÍOLA SIMÕES







As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.