Mãe cria grande polêmica ao dizer que ama mais seu cão do que seu filho

A jornalista Kelly Rose Bradford, em 2014, causou uma enorme polêmica ao declarar publicamente que ama mais sua cachorra, Matilda, do que seu filho de 11 anos.

A jornalista Kelly Rose Bradford, em 2014, causou uma enorme polêmica ao declarar publicamente que ama mais sua cachorra, Matilda, do que seu filho de 11 anos. Ela diz:

“Toda vez que olho para ela, meu coração se enche de amor e sinto uma vontade incrível de abraçá-la, protegê-la e mimá-la. Ter um cão abrange um sentimento de amor intenso e a mesma responsabilidade que uma mãe tem para com seu filho… A verdade é que amo Matilda tanto quanto amo meu filho. Algumas vezes, aliás, a amo mais do que ele e não tenho nenhum remorso em admitir isso”, afirmou Kelly.

Para justificar este sentimento maior e mais puro pela cachorra, a jornalista disse que crianças podem ser indisciplinadas e com o tempo acabarem decepcionando seus pais. “Meu filho deixa uma verdadeira bagunça em nossa casa e frequentemente precisa ser repreendido. Preciso lembrar a todo momento sobre o dever de casa e que precisa arrumar suas roupas. Com Matilda isso não acontece, ela é sempre doce, obediente, bem humorada e carinhosa”, revelou em entrevista ao Daily Mail.

Bradford ainda defende que crianças costumam ser ingratas, algo que jamais acontece com os cães. “Tudo o que faço para Matilda resulta em amor e gratidão. Um prato de comida ou um passeio já resultam em um rabo abanando e em beijos molhados, enquanto raramente ouço uma palavra de reconhecimento do William, não importa quantas refeições eu faça, quantas vezes eu o leve para nadar e nem quantas roupas eu lavo”, completou.

A fim de se explicar, Kelly disse ainda que não está sozinha neste sentimento. “Vocês devem saber que muitas mães se sentem da mesma maneira que eu. Um estudo recente revelou que muitas pessoas sentem o mesmo amor e compaixão com imagens de animais e de seus filhos. Ao analisar uma área específica do cérebro, foi constatado que muitas mulheres se sentiam mais felizes ao verem seus bichinhos do que seus próprios filhos”, defendeu.

“Meu filho está crescendo e muitas vezes não me quer por perto. Penso que com ele ainda tenho muitas décadas pela frente, mas com Matilda não. Como os cachorros vivem menos, preciso fazer com que sua vida seja boa a todo momento. Por mais que os cães cresçam, eles são sempre bebês e têm necessidades parecidas com a de um recém-nascido. Com William, preciso fazer com que se torne um adulto responsável e que cada vez seja menos dependente de mim”, finalizou Kelly.

– Fotos: Reprodução/ Daily Mail Via: Link Animal

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


COMPARTILHE

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




CONTI outra
As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.