Madonna doa US $ 1 milhão para pesquisa da vacina contra COVID-19.

A "Rainha do Pop" se juntará ao novo projeto da Fundação Bill e Melinda Gates, em que financiará 7 laboratórios em todo o mundo que terão como objetivo encontrar um tratamento para o coronavírus.

Ana Carolina Conti Cenciani

Diversas celebridades já fizeram doações para ajudar a população nessa pandemia do coronavírus que já infectou mais de um milhão de pessoas em todo o mundo. A guerra contra o Covid-19 foi declarada, a pesquisa precisa acontecer para que os cientistas consigam evoluir suas pesquisas e chegar a ao objetivo. Porém pra que isso aconteça, é preciso muito investimento.

Nesse caso, uma das divas mais conhecidas, “A Rainha do Pop”: Madonna decidiu ajudar a causa e fazer uma doação. A cantora de 61 anos enviou uma longa declaração em seu site madonna.com, onde comentou que se juntará à fundação Bill e Melinda Gates para financiar a pesquisa de vacinas contra o COVID-19, com uma contribuição inicial de 1 milhão de dólares.

A cantora anunciou essa colaboração em um vídeo postado no Instagram na última sexta-feira, onde explicou o motivo e os motivos da contribuição.

“Individual e globalmente, estamos vivendo um estado óbvio de emergência, e devo admitir que demorei muito tempo para aceitar, processar e modificar meu próprio estilo de vida. Vou me juntar à Fundação Bill & Melinda Gates para encontrar um medicamento que impeça ou trate o COVID-19. Precisamos proteger nossos profissionais de saúde, os mais vulneráveis e todos os nossos amigos e familiares.”, dizia a cantora em sua rede social.

O projeto Gates se chama “COVID-19 Therapeutics Accelerator” e envolve o financiamento de infraestrutura e operações de sete laboratórios em todo o mundo, que possuem o objetivo de encontrar uma possível cura para esse vírus mortal. Os laboratórios terão que criar sua própria fórmula de vacina e o Gates escolherá sete deles, para os quais os recursos serão direcionados.

Esperamos sinceramente que esta união de gigantes tenha algum efeito concreto e que possa ser desenvolvida uma cura para a doença. Embora ainda haja tempo, a esperança é a última coisa que nos resta!

Com informações de UPSOCL

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


COMPARTILHE

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS




Ana Carolina Conti Cenciani
Ana, 19 anos, estudante de Artes Visuais na UNESP de Bauru. Trago aqui notícias que são boas de se ler.