A ativista Luisa Mell, de 43 anos, usou suas redes sociais para fazer uma crítica a atitude do cantor Zé Neto, da dupla com Cristiano, de fazer uma promessa com um animal. O sertanejo tinha prometido andar mais de mil quilômetros em cima de um burro.

“Fiquei sabendo que o cantor Zé Neto fez uma promessa sei lá do quê e vai andar 1180 quilômetros em cima de um burro. Não foi você que fez a promessa? Ajoelha no milho, vai andando… Não consigo entender”, iniciou Luisa.

“Sempre mostro as tragédias que acontecem com animais nessas romarias. Cavalos morrem todos os anos. Vocês acham que Deus gosta disso? Aceito todas as religiões, cada um fala com Deus do jeito que quer, mas pague você a promessa.”

A ativista ainda mandou um recado direto a Zé Neto, pedindo para que ele não cumpra a promessa usando o animal:

“Zé Neto, vai você andando, vai de bicicleta. O burro não tem nada a ver com isso. Pessoa pública deveria dar exemplo. Quem fala: ‘Sempre foi assim…’. Pô, mas a gente está aqui para mudar o mundo. A gente deve lutar pelos animais, eles não podem gritar e sofrem muito nas nossas mãos”, finalizou.

Diante das críticas de Luisa Mell, o cantor Zé Neto usou os stories do Instagram para se pronunciar. Em uma série de videos, ele mostrou os animais se alimentando e também uma caixa de remédios para demosntrar que eles estão sendo bem cuidados durante a romaria. Zé Neto ainda corrigiu a distância, afirmando que fará um trajeto de cerca de 300 km.

“Dá uma olhada na saúde dos animais, todos ‘gordos’, comendo. Isso é para provar para vocês, porque saiu um monte de gente falando merd*, e é porque talvez não saiba e não conhece. A gente reveza um animal por dia aqui. Com certeza, a gente sempre preserva o melhor estado de saúde dos animais.”, disse

A esposa do cantor, Natália Toscano, também se pronunciou. Em vídeo no Instagram, ela afirmou que é feito um rodízio com os animais.

“Sempre vão dois ou três caminhões com burros, mulas, cavalos, porque existem rodízios, a gente respeita o tempo do animal”, declarou, afirmando ainda que sempre há veterinários nas caminhadas da fé.

“Graças a Deus a gente tem condição de montar uma estrutura para isso acontecer, porque você imagina, há 30 anos não tinha essa estrutura. Hoje tem. Tem veterinário, tem medicações de tudo que é possível acontecer com o animal, pra que a gente possa cuidar dele. Às vezes, pisa numa pedra e machuca a pata. Isso pode acontecer até dentro do pasto.”, finalizou ela.

***
Redação Conti Outra, com informações de UOL.
Fotos: Reprodução/Redes Sociais.

RECOMENDAMOS




LIVRO NOVO: FABÍOLA SIMÕES







As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.