Juntando o útil ao agradável, essas plantinhas lindas são capazes de purificar o ar de sua casa!

Plantas aéreas coloridas como um arco-íris, além de serem lindas também purificam o ar de sua casa; saiba mais.

Ana Carolina Conti Cenciani

Dado que as plantas domésticas têm benefícios de saúde cientificamente comprovados – tanto fisiologicamente como emocionalmente – não é de admirar que as pessoas gostem de tê-las por perto. Mas ter plantinhas não é uma tarefa fácil para qualquer um, tanto para quem não é abençoado com um polegar verde ou tanto para pessoas que vivem em espaços pequenos essa pode ser uma tarefa difícil.

Uma alternativa ótima para quem não consegue ter plantas em casa são as plantas aéreas (compradas de forma sustentável) – plantas ‘mágicas’ que, ao contrário de suas irmãs terrestres, não são plantadas na terra, por assim dizer.

A “plantas de ar” obtêm seus nutrientes do ar ao seu redor e demandam baixa manutenção. Portanto, se você está ocupado durante o dia ou é esquecido, não precisa se preocupar em lembrar de regá-las.

As plantas aéreas são uma espécie única de planta. Existem cerca de 550 tipos, além de híbridos. Elas são nativas do sul dos EUA, América Central, América do Sul e México. Podem ser tão pequenas com alguns centímetros ou grandes, com três pés de diâmetro.

Um estudo realizado analisou como as plantas do gêneroTillandsia poderiam ser usadas para limpar o ar de metais pesados. “Usamos plantas da família das bromélias e musgo espanhol (Tillandsia usneoides) como espécies sentinelas para detectar e absorver o mercúrio do ar em lojas contaminadas pelo comércio de ouro na Amazônia”, diz Paulo Machado Torres, cientista sênior dos Radioisótopos Laboratório da Universidade Federal do Rio de Janeiro. O uso de plantas pode ser útil exclusivamente nesses ambientes onde outros tipos de tecnologia de remediação podem ser impraticáveis ou difíceis de implantar, observa o estudo.

Por outro lado, o engenheiro ambiental Michael Waring, especialista em qualidade do ar interior da Universidade Drexel, tinha algumas dúvidas.

Em um estudo publicado recentemente no Journal of Exposure Science and Environmental Epidemiology, Waring e seu co-autor revisaram 12 estudos científicos publicados anteriormente que testaram 196 plantas na última década.

Os estudos, que concluíram que uma pequena planta doméstica poderia remover uma série de toxinas. Waring diz que um experimento típico envolveu colocar uma planta em uma pequena câmara e submetê-la a moléculas gasosas chamadas compostos orgânicos voláteis (VOCs).

As experiências variaram em densidade e tempo de remoção. Um deles mostrou que em apenas 24 horas, heras domésticas comuns podiam remover dois terços do formaldeído a que estavam expostos.

O problema com esses experimentos, diz Waring, é que as câmaras densamente gasosas no laboratório não imitam o ambiente doméstico ou do escritório.

Essencialmente, sim, essas usinas de ar podem ajudar a remover toxinas muito pequenas do ar, mas não o suficiente para impactar o ambiente doméstico. A menos, é claro, que você tenha uma quantidade inviável de plantas em casa. Estou pronto para uma casa na floresta, e você?

Com informações de Mystical Raven

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


COMPARTILHE

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS




Ana Carolina Conti Cenciani
Ana, 19 anos, estudante de Artes Visuais na UNESP de Bauru. Trago aqui notícias que são boas de se ler.