Jovem transformou suas férias arruinadas em operação para ajudar os idosos durante a pandemia.

Lia transformou uma situação ruim em uma oportunidade para ajudar as pessoas durante esses tempos de COVID-19. Parabéns pela iniciativa!

CONTI outra

Com apenas 18 anos, Lia Rubel, uma jovem estadunidense, teve suas férias de verão arruinadas por conta da pandemia do coronavírus, mas conseguiu reverter a situação e usar seu tempo para conseguir tablets, celulares e outros aparelhos para os idosos que não podem sair de casa devido ao isolamento. Essas tecnologias os ajudam a buscar aconselhamento médico e se conectar com suas famílias, tudo online.

Há alguns meses, Lia estava se preparando para o verão quando COVID-19 arruinou seus planos. “Depois de receber inúmeros e-mails sobre estágios cancelados, quase cheguei à conclusão de que passaria o verão brincando com meus polegares”, disse Lia Rubel de sua casa em Barre, Vermont, nos EUA.

Foi aí que ela recebeu um telefonema de um amigo sobre uma nova iniciativa organizada por alguns alunos da Universidade de Yale que viam uma necessidade que se tornou urgente na era do coronavírus. As pessoas ainda precisavam de cuidados médicos, mas não podiam deixar suas casas por medo de espalhar ou contrair o vírus, especialmente os idosos, que são mais vulneráveis.

É por isso que o projeto “Telehealth Access for Seniors” nasceu em março – para levar a tecnologia de comunicação, como um smartphone ou tablet, a pacientes idosos que não têm e precisam dela.

“É mais do que apenas um dispositivo. É uma ferramenta de conectividade vital e pode salvar a vida de alguém”, afirma Rubel, que aderiu à iniciativa em março como líder de Vermont. “Só dói meu coração que eles não tenham esse privilégio e não possam se conectar com amigos e familiares. Eles nem conseguem se conectar com seus médicos”, complementa.

Lia Rubel

Desde março, o Telehealth Access for Seniors se expandiu para mais de 50 voluntários em 26 estados e eles arrecadaram cerca de US $ 38.000 e doaram 825 dispositivos. Só em Vermont, Lia ajudou a arrecadar cerca de 50 dispositivos e US $ 800.

“Se eles ainda estiverem em quarentena, é muito importante para a saúde mental”, diz Lia. “Incluímos algumas dicas para baixar apps de bem-estar com os aparelhos. E eles [os pacientes] usam o FaceTime com a família para ficarem conectados”.

O simples fato de oferecer a uma pessoa idosa uma maneira de ter uma conversa por vídeo com um ente querido em uma época de distanciamento social pode ajudar muito em sua saúde mental.

O Telehealth Access for Seniors oferece uma equipe de suporte técnico remoto gratuito por telefone e e-mail para que a ajuda esteja sempre disponível. A organização também fornece instruções sobre como configurar dispositivos.

“A pandemia abriu nossos olhos para a importância de ter ferramentas digitais e a importância de equipar nossos adultos mais velhos com esses dispositivos”, completa Lia.

Enquanto seus planos foram afetados pela pandemia, Lia transformou uma situação ruim em uma oportunidade para ajudar as pessoas durante esses tempos de COVID-19. Parabéns pela iniciativa!

 

Com informações de UPSOCL

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


COMPARTILHE

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS




CONTI outra
As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.