Essa jovem se surpreendeu quando se deparou com um bilhete um tanto quanto estranho em suas correspondências, que criticava o fato dela andar em sua própria casa usando apenas sutiã. As informações são do site Universa, do UOL.

A confeiteira Juliana Kulpa, de 25 anos, contou que quando se deparou com a nota, tomou um susto: “A primeira reação foi um susto, porque a pessoa não se identificou. Fiquei assustada com isso”, disse a jovem.

Foto: Reprodução

No bilhete, estavam escritas as seguintes palavras:

“Olá. Gostaria de pedir o favor pra senhora parar de transitar em sua casa de sutiã. Somos evangélicos e meu marido fica em casa em home office. Tenha decência. Obrigada.”

Foto: Arquivo pessoal Juliana Kulpa

Entretanto, Juliana disse que não tem o costume de andar apenas de sutiã, que acha que a pessoa pode ter confundido a lingerie com um top e shorts de academia, e que acredita que a vizinha incomodada pode ser de outro prédio.

“Eu imagino que tenha sido no dia que eu fui fazer uma caminhada e, em seguida, fiz uma faxina. Até hoje, a pessoa não se identificou. Eu não imagino quem seja, porque as janelas da minha lavanderia e do meu quarto dão para a frente do outro prédio; mas ‘é muito apartamento’. Não dá para saber quem é. Com certeza é alguém do outro prédio, porque daqui não tem como ninguém me ver”, disse Juliana ao UOL.

O bilhete foi único e a confeiteira não foi mais incomodada com notas  reclamando dos seus trajes. Além disso, a jovem disse que não ficou intimidada nem mudará seus hábitos em seu apartamento. “Voltei a usar top, cropped… Não fiquei nem um pouco intimidada, desconfortável, pelo contrário. Estou dentro da minha casa. Vou e pretendo continuar usando”, disse Juliana.

 

Com informações de Isto É

RECOMENDAMOS




LIVRO NOVO: FABÍOLA SIMÕES







As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.