Jovem cria fraldas ecológicas feitas de algas que se biodegradam quando terminam sua função

Seu design inovador está revolucionando o mercado de fraldas descartáveis ​​e de pano.

CONTI outra

Depois que Luisa Kahfeldt soube que mais de 17 milhões de fraldas descartáveis ​​são jogadas fora só na União Europeia todos os dias, ela decidiu desenvolver uma alternativa sustentável de fraldas criando sua própria marca de fraldas biodegradáveis ​​chamada Sumo.

Luisa desenhou as fraldas utilizando um tecido que ela chamou de SeaCell que é composto por algas e eucalipto, obtendo uma alternativa que além de ajudar o meio ambiente, também tem características antialérgicas, que são muito macias para a pele dos bebês, oferecendo grande conforto para uso diário, com um tecido antibacteriano rico em antioxidantes.

Dessa forma, as fraldas Sumo têm se posicionado como uma grande opção com maiores vantagens às fraldas descartáveis ​​que levam aproximadamente 500 anos para se decompor e até mesmo aos tecidos que são usados ​​na maioria das fraldas de pano, já que Luisa criou um design monomaterial, facilitando a reciclagem, sem a necessidade de desmontar seus componentes.

Graças ao excelente design e aos avanços das fraldas Sumo em comparação com as fraldas de pano padrão, Luisa recebeu vários elogios, incluindo o prestigioso Prêmio Dyson, pois o design SeaCell impressionou a todos com sua composição de três camadas, incluindo uma única camada. Interna macia e absorvente, um núcleo ainda mais absorvente e finalmente uma camada externa impermeável que evita que os líquidos vazem, devido à tecnologia EcoRepel que consegue impermeabilizar os tecidos sem afetar a biodegradabilidade ou reciclabilidade e as fraldas Sumo também são muito resistentes à abrasão e repetidas lavagens na máquina.

Por outro lado, Luisa conseguiu conceber as fraldas sem nenhum tipo de elástico sintético, de forma a serem 100% recicláveis, através de um método de tecelagem com fios naturais denominado ‘elasticidade natural’ que permite uma elasticidade até 20%.

Dessa forma, os designs das fraldas biodegradáveis ​​de Luisa tornaram-se referência para o mundo e ela espera que outras pessoas se inspirem nesta e em outras alternativas sustentáveis ​​de ter um mundo melhor para todos. Em uma entrevista, ela mencionou: “Estou muito entusiasmada com a inovação de materiais que resultará de matérias-primas renováveis ​​prontamente disponíveis, como algas, e a oportunidade de usá-las em projetos futuros.”

Sem dúvida uma contribuição importante e uma ideia magnífica para oferecer alternativas sustentáveis.

***
Redação Conti Outra, com informações de Nation.
Fotos: Reprodução.

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


COMPARTILHE

RECOMENDAMOS




LIVRO NOVO: FABÍOLA SIMÕES




COMENTÁRIOS




CONTI outra
As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.