Aos 91 anos, na manhã desta terça-feira (27), o filósofo José Arthur Giannotti faleceu em São Paulo, a causa da morte não foi divulgada.

José Arthur Giannotti era professor emérito da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (FFLCH-USP), e era conhecido como um dos maiores nomes da filosofia brasileira.

Giannotti se dedicou ao estudo de autores como Karl Marx, Martin Heidegger e Ludwig Wittgenstein.

Foto: Marcos Santos / USP Imagens

O filósofo escreveu uma série de livros, estando entre eles “Origens da dialética do trabalho: estudo sobre a lógica do jovem Marx”, tese de livre-docência defendida em 1966 e publicada em 1985; e “Trabalho e reflexão: ensaios para uma dialética da sociabilidade”, de 1983.

Ainda no ano passado aos seus 90 anos, lançou “Heidegger/Wittgenstein: confrontos”. Em entrevista à revista Época, ele disse que se tratava de seu “melhor livro”. A obra investiga o pensamento do alemão Martin Heidegger (1889-1976) e do austríaco Ludwig Wittgenstein (1889-1951).

Foto: Reprodução/Cebrap/Youtube

O Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (Cebrap) confirmou a morte do estudioso e publicou um comunicado oficial lamentando o falecimento do filósofo.

“É com imensa tristeza que o Cebrap recebe a notícia do falecimento de um de seus fundadores, o prof. José Arthur Giannotti. Aos familiares e amigos que tiveram o privilégio de conviver com Giannotti, um dos maiores intelectuais brasileiros, nossas sinceras condolências”, dizia a nota.

Com informações de G1

RECOMENDAMOS




LIVRO NOVO: FABÍOLA SIMÕES







As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.