O que mais tem encantado no BBB é a simplicidade de Juliette, Gil e Caio. Não é a rotina das celebridades, não é as maquinações em grupo para eliminar um favorito.

Aliás, Juliette e Caio cantando na festa emocionaram muito mais do que os cantores profissionais. Porque foram de uma paixão afinada, como nas rodas de violão da família.

Interpretaram com todas as nuances do rosto, sofrendo com a letra, com uma entrega sem filtros própria das crianças.

Muito além do paredão, das provas de anjo e de líder, dos romances, de ver como um famoso se comporta por 24h, o que vem conquistando a adesão do público é uma vida do interior ainda resistente nos hábitos do trio.

Eu até diria que a maior aventura da audiência é a deliciosa monotonia de quem é verdadeiro.

Os três encarnam a nossa saudade do sotaque, da ingenuidade, da confiança da prosa à toa. Tipificam a nossa nostalgia da roça, da porta aberta, de um Brasil agrário e crédulo, em que a competição de egos nunca era maior do que o encontro. Recuperam o ideal de casa que tanto sentimos falta no atual ambiente tóxico de extremismo ideológico e militância exarcebada: a preguiça, a loquacidade, os apertos e abraços gratuitos, as gírias dos seus Estados, a capacidade de se espantar no meio de uma história ou de rir de boca cheia no almoço.

Projota, Nego Di e Karol só falam de estratégias, só pensam em ganhar. Não perceberam que jogar é perder, é fazer inimigos, é segregar, é debochar, é mergulhar no egoísmo, é acumular antipatia. Estão preocupados unicamente com a fama e a carreira. Não desceram para a xepa, permanecem na arrogância do microfone e dos holofotes do palco.

Já Juliette, Gil e Caio querem viver cada dia como se fosse o último, cada esperança como se fosse a primeira. Há uma grande diferença. Eles são reais no jogo mortal. Eles são como os nossos primos felizes e cheio de notícias, com os seus defeitos e virtudes sinceros, chegando de longe para as férias na praia.

__ Fabrício Carpinejar

***

Abaixo, a publicação original

JOGAR É PERDER

Fabrício Carpinejar

O que mais tem encantado no BBB é a simplicidade de Juliette, Gil e Caio. Não…

Publicado por Fabrício Carpinejar em Quinta-feira, 11 de fevereiro de 2021

Ouça também o nosso Podcast sobre o BBB21

RECOMENDAMOS




LIVRO NOVO: FABÍOLA SIMÕES







As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.