Jesus Cristo nunca ensinou a meritocracia

Existe um conceito terrível propagado na nossa sociedade no qual Jesus foi um dos maiores combatentes e hoje, aprendendo com ele, também estou sendo: a MERITOCRACIA.

Não canso de repetir que Jesus Cristo foi e sempre será a minha maior referência na vida. Ele nos ensinou tudo que precisamos para ter uma vida plena, meus amigos! Basta ter olhos para ver.

Existe um conceito terrível propagado na nossa sociedade no qual Jesus foi um dos maiores combatentes e hoje, aprendendo com ele, também estou sendo: a MERITOCRACIA.

Esse é um conceito bastante perigoso, porque dentro dele está contido o pior de todos os pecados capitais, a VAIDADE.

A meritocracia diz que a pessoa que lutou para conquistar grandes coisas na vida é merecedora por todas as conquistas e não deve ajudar quem não conseguiu vencer na vida a fazer o mesmo.

Esse é o egoísmo lá na sua raiz. Você não olhar para a dor do seu vizinho, para a sua enfermidade, como se você não fizesse parte disso.

Como concordar com uma ideia tão perigosa como essa?

Para embasar essa reflexão, compartilho as sábias palavras do evangelho de Mateus.

“E os escribas e fariseus, vendo-o comer com os publicanos e pecadores, disseram aos seus discípulos: Por que come e bebe ele com os publicanos e pecadores?

Os sãos não necessitam de médico, mas, sim, os que estão doentes; eu não vim chamar os justos, mas, sim, os pecadores ao arrependimento.” Marcos 2:16-17

**********

A profundidade destas palavras de Jesus é absurda. Inclusive ele utiliza uma das palavras mais terapêuticas que existe: ARREPENDIMENTO.

Quando você se arrepende de algo, significa que compreendeu no mais íntimo do coração que fez algo errado ou inadequado.

O arrependimento está atrelado ao PERDÃO, a maior e principal chave de cura das emoções nos seres humanos.

Jesus era um imenso terapeuta. Através da sua vida iluminada, reta, ética, serena, pacificada, tocava as pessoas só com a sua presença, e quando abria a boca para falar alguma coisa, tocava o mais profundo da alma dos seus ouvintes.

Ele era perfeito em sua humanidade, e tendo consciência disso, tudo o que fazia era levar amor para as pessoas. A partir desse amor profundo, ele não se importava se estava diante de publicanos, de fariseus, de mendigos, de prostitutas, ou dos grandes generais da sociedade. Ele tratava todas as pessoas com amor e dignidade, pois somos todos irmãos, somos feitos da mesma matéria prima divina.

No dia em que você internalizar isso, perceberá o quanto agimos de forma cruel muitas vezes, excluindo, julgando, humilhando, desqualificando, esnobando… atitudes que só revelam o quanto também somos fariseus.

Jesus dizia: “O maior dentre vós é aquele que serve”. Mt: 20. 26

É exatamente assim que eu penso. Eu sou um privilegiado. Nasci em uma família amorosa, que sempre me amou desde criança. Cresci no meio de pessoas espiritualizadas e sábias. Tive acesso a conhecimento, estudei em boas escolas. Pude me formar e receber uma formação primorosa etc.

Se tivesse nascido em uma família problemática, sem recursos, sem acesso a conhecimento, você certamente não estaria lendo esse texto agora e eu nem saberia como seria a minha vida nesse momento…

É meu dever levar um pouco de tudo que aprendi e continuo aprendendo para as pessoas. Não penso em meritocracia. Cresci na vida, fiz faculdade, aprendi muita coisa. Mas de que adiantaria isso se fosse para ficar só comigo? Não adiantaria de nada!

Gosto muito das palavras do grande Mario Sergio Cortella que dizem assim: “Amor e conhecimento são duas coisas que só crescem cada vez mais à medida que você oferece”.

São palavras de uma sabedoria incrível. Quanto mais a gente ama e quanto mais a gente estuda, cresce em nós o desejo do COMPARTILHAR.

A raiz dessa palavra é maravilhosa, ela significa “partilhar junto”.

Partilha vem de pessoas, de estar junto, nunca de solidão.

Você já viu uma pessoa solitária partilhar algo? Estranho não é mesmo? Exatamente porque isso é incoerente. Só é possível partilhar quando se tem pessoas para partilhar.

Jesus partilhava sua sabedoria com todos que dele se aproximavam, e o resultado disso é que ele era amado e respeitado em todos os lugares que ia.

O seu olhar de amor mexia profundamente nas pessoas consideradas “pecadoras”, e a sua presença fazia com que elas, por conta própria, buscassem mudar de vida e seguir outro caminho.

Enfim. Percebe como era bonita a postura de Jesus Cristo?

Portanto. Para eliminar de vez da sua mente essa ideia terrível de meritocracia. Aprenda e vivencie isso.

“O maior dentre vós é aquele que serve”…

Paz e luz.

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


COMPARTILHE

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Isaias Costa
Bacharel em Física. Mestre em Engenharia Mecânica e Psicanalista clínico. Trabalha como professor de Física e Matemática, mas não deixa de alimentar o seu lado das Humanas estudando a mente humana e seus mistérios, ouvindo seus pacientes e compartilhando conhecimentos em seu blog "Para além do agora", no qual escreve desde 2012.