Devido à grande demanda de respiradores artificiais para tratar pacientes infectados com COVID-19, o governo britânico pediu a várias empresas, incluindo fabricantes de automóveis, para começar a produzir essas máquinas.

Até agora, três das maiores empresas do Reino Unido, Jaguar, Land Rover e Rolls-Royce , além da Vauxhall , aderiram à iniciativa para ajudar milhares de pessoas.

Segundo o jornal britânico The Guardian , o governo do Reino Unido enviou às empresas o design do equipamento a ser produzido, com o objetivo de fabricar 20.000 dispositivos mecânicos.

A Vauxhall, que faz parte do grupo francês PSA, contribuirá com peças fabricadas em impressoras 3D e na parte de montagem dos dispositivos.

Outras grandes empresas, por sua vez, afirmaram que estavam prontas para começar a operar e auxiliar na produção dos respiradores.

As empresas automotivas podem estar aptas a se concentrar em equipamentos médicos, pois muitas já têm capacidade de produção disponível para expansão futura.

No entanto, David Bailey, professor de economia empresarial da Universidade de Birmingham, disse que pode levar algum tempo para as montadoras montarem equipamentos médicos. Uma contribuição imediata que as empresas automotivas podem dar é ajudar em termos de pessoal, componentes e oferta de suprimentos.

É o momento de nos unirmos por um único propósito: sairmos bem desta crise. Que bom que algumas grandes empresas vêm fazendo a sua parte. Quem tem mais, naturalmente, contribui mais.

***

Redação CONTI outra. Com informações de Nation

RECOMENDAMOS




LIVRO NOVO: FABÍOLA SIMÕES







As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.