“Irmão, você vê isso?”: Vídeo mostra daltônico reagindo a cores pela primeira vez. Emocionante!

Graças aos óculos especiais ele pôde ver o mundo como todos nós o vemos, e é claro, que ele não conseguiu conter sua emoção.

Ana Carolina Conti Cenciani

A vida das pessoas daltônicas não é fácil, o fato de não conseguirem perceber todas as cores pode afetar, e muito, durante o dia-a-dia. Basta pensar que você não consegue ver o que os outros veem. Esse era o estilo de vida de McKinley, ou “Mac” Erves, um jovem de 22 anos que até recentemente não sabia o que estava perdendo.

Felizmente ele está cercado de bons amigos, que decidiram arrecadar dinheiro e comprar um par de óculos especiais para ele. Estes óculos permitem perceber as cores que o daltonismo bloqueia.

Quando os amigos lhe entregaram o presente, decidiram gravar: era um momento especial e queriam documentar tudo.

A reação de Mac foi comovente, ele estava vendo pela primeira vez algo que nunca tinha visto em sua vida.

Twitter / maciavelli_

Foi assim que ele aproveitou o seu Twitter para mostrar ao mundo o vídeo emocionante e, sobretudo, agradecer a essas pessoas que mais do que amigos, são seus irmãos. O vídeo mostra o momento em que ele coloca os óculos e começa a ver tudo ao seu redor.

Primeiro ele percebe um carro vermelho estacionado na frente, depois começa a ver a grama e arbustos. Ele estava realmente empolgado, não conseguia acreditar na gama de cores que estava perdendo há tanto tempo.

Twitter / maciavelli_

“Irmão o quê?!”, Mac gritou animado quando ele apenas olhou para a frente de sua casa.
O mundo será outra coisa para ele a partir de agora. Seus amigos poderão mostrar-lhe como é legal ver todas as cores, depois de perdê-las por 22 anos.

Seu daltonismo o impedia de distinguir tons como o verde ou o vermelho, mas seus novos óculos permitem distingui-los bem.

Twitter / maciavelli_

“Fiquei sem palavras com esses óculos, você vê como as coisas deveriam ser. Sempre vi o que vi, mas quando esses óculos corrigiram minha visão, é algo que não vou esquecer.”, conta McKinley.

 

Estamos realmente felizes por ele e esperamos que pelo resto de sua vida ele seja capaz de apreciar a beleza de todas as cores!

Com informações de UPSOCL.

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


COMPARTILHE

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS




Ana Carolina Conti Cenciani
Ana, 19 anos, estudante de Artes Visuais na UNESP de Bauru. Trago aqui notícias que são boas de se ler.