Inteligência é herdada da mãe, e a ciência comprova isso

As pessoas que têm a sorte de serem mais inteligentes do que a média devem começar a agradecer a alguém em particular: suas mães.

REDAÇÃO CONTI outra

As pessoas que têm a sorte de serem mais inteligentes do que a média devem começar a agradecer a alguém em particular: suas mães. Como vários estudos comprovam, são elas que transmitem a maior parte da carga genética relacionada às habilidades cognitivas .

Isso põe abaixo muitos dos preconceitos de gênero que ainda estão arraigados em nossa sociedade e que acompanham cruelmente as mulheres por séculos. De acordo com essa informação, a inteligência dos pais não seria um fator determinante na previsão da inteligência das crianças.

Genes condicionais, a chave para tudo

A base científica deste assunto reside precisamente na existência de “genes condicionados”. Esses componentes genéticos, conforme descrito por biólogos que os estudaram exaustivamente, se comportam de maneira diferente, dependendo de serem de um corpo masculino ou feminino.

Aparentemente, esses genes contêm algo como uma marca bioquímica que fornece informações sobre sua origem, e isso revela até mesmo se esses genes estarão ativos ou não nas células da criança. Especificamente, alguns genes condicionados só são ativados se vierem da mãe. Caso esse mesmo gene seja herdado pela via paterna, ele não é ativado.

Como seria de esperar, existem outros genes que funcionam ao contrário: isto é, eles só são ativados se vierem do pai.

Cromossomo X, essencial no desenvolvimento do potencial cognitivo

Sabe-se que a inteligência é herdada de pais para filhos, mas até recentemente não havia registro de que essa habilidade era devida em maior grau por um dos pais. Os diferentes estudos que demonstram que as crianças são mais propensas a herdar a inteligência da mãe sugerem que os genes relacionados às habilidades cognitivas localizam-se no cromossomo X .

De fato, os dados que sustentam esta tese vêm de longe. Em 1984, um estudo da Universidade de Cambridge já detectou a tendência. A equipe de pesquisadores analisou certos componentes bioquímicos e genéticos do cérebro e concluiu que os genes da mãe fornecem mais informações para o desenvolvimento de estruturas cerebrais associadas ao pensamento e às operações mentais.

Para chegar a essa conclusão surpreendente, os pesquisadores trabalharam com embriões de camundongos modificados para reproduzir apenas os genes da mãe ou do pai. No entanto, quando os cientistas transferiram os embriões para o útero de um camundongo, para que pudessem continuar a se desenvolver, eles não vingaram.

Dessa forma, os pesquisadores perceberam que existem genes condicionados que só se ativam quando são herdados pela mãe e que são essenciais para o desenvolvimento e a sobrevivência do embrião. Com os embriões que eram cópias genéticas dos pais, algo diferente aconteceu: seus genes foram cruciais para o crescimento dos tecidos placentários. Eles também não vingaram.

A hipótese era clara: se esses genes em particular fossem tão essenciais para o desenvolvimento (e sobrevivência) do embrião, seria razoável pensar que seriam genes com grandes responsabilidades no funcionamento orgânico de animais e humanos, e talvez pudessem manter um forte relacionamento com certas funções cerebrais. Uma hipótese de que, após estudos sucessivos, isolar variáveis, foi validada.

Qual a real porcentagem de inteligência herdada geneticamente?

Costuma-se dizer que entre 45 e 55% da inteligência é originária dos genes. Isso implica que há também uma parte significativa, aproximadamente a metade, que se desenvolve se as condições familiares, sociais e pessoais forem boas.

Vale lembrar também que a inteligência nada mais é do que a capacidade dos seres humanos de resolver problemas. Não existe uma área específica do cérebro responsável pela resolução de problemas, mas é o nosso cérebro como um todo que trabalha globalmente para resolver qualquer tarefa que exija um esforço das nossas capacidades cognitivas. Além disso, para mais confusão, não apenas usamos o pensamento racional para esses propósitos, mas o pensamento heurístico, a intuição e as emoções também entram em ação , que geralmente estão mais relacionadas à herança genética do pai.

***

Traduzido e adaptado por CONTI outra. Com informações de https://psicologiaymente.com

Photo by Ana Francisconi from Pexels

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


COMPARTILHE

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




REDAÇÃO CONTI outra
As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.