As relações interpessoais são complicadas, às vezes temos problemas com nós mesmos e não conseguimos, além de tudo, lidar com os problemas dos outros.  No entanto, parte do ser humano é socializar e, embora não seja uma obrigação, tendemos a nos relacionar emocional e fisicamente com os outros.

Mas para Luciana Mallon isso não é e nem tem sido necessário, a mulher de 47 anos diz que até hoje é virgem e o convívio com outras pessoas é um tanto problemático.

Instagram / Luciana Mallon

Ela é uma influenciadora e através do Instagram fala sobre os pontos positivos de morar sozinha, sem seguir nenhum tipo de norma social que a motive a estar com outra pessoa. A verdade é que ela se declara assexual, alguém sem desejo de manter relações íntimas, mas que pode desenvolver sentimentos.

A sexualidade de Luciana também é um obstáculo em sua vida amorosa, já que ela mesmo disse que isso tornou mais difícil para ela ficar com alguém, porque geralmente as pessoas não entendem seus interesses.

Instagram / Luciana Mallon

Sua vida não tem sido fácil, ela conta que até mesmo seus colegas a excluíram quando ela disse que nunca se casaria, o que a deixou muito triste.

Por isso, em sua vida de solteira, ela tem procurado viver da melhor maneira possível. Para Luciana não se trata de estar acompanhada, mas de ser feliz. É por isso que no Instagram ela compartilha sua vida e como tudo vai na sua solidão, felizmente, ela vai às aulas de dança, lê poemas e muito mais.

Instagram / Luciana Mallon

Ela sabe que muitos a descreveriam como uma solteirona, mas ela também entende que essas são concepções do passado que não governam sua vida. Então, ela se concentra no aspecto positivo que seus seguidores têm a dizer sobre sua vida, uma vida tranquila e divertida.

No final das contas, sexo não é um problema para ela, que o substitui na sua rotina.  Ela torna sua vida algo ativo e em constante movimento.

Instagram / Luciana Mallon

Luciana Mallon confessa que se apaixonou apenas 2 vezes na vida, a primeira quando tinha 12 anos e a segunda em 1990. Mas isso não deu certo, então ser assexual e solteira passou a ser seu estilo de vida, ela acha que é um pouco doloroso ter que lidar com essas situações.

Certamente tem sido difícil lidar com as pressões sociais, especialmente de sua família, mas com o passar do tempo ela tem conseguido lidar com isso e acreditar mais na autoaceitação.

 

Com informações de UPSOCL

 

RECOMENDAMOS




LIVRO NOVO: FABÍOLA SIMÕES







As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.