Influenciador é alvo de investigação depois de dar ‘picolé de sabão’ a moradores de rua

"Percebi que há uma linha estreita entre o que pode ser percebido como uma piada e o que pode ser percebido como uma ação que atenta contra as pessoas.", disse o influenciador diante da repercussão negativa do vídeo.

CONTI outra

O influenciador digital colombiano Milton Andrés Domínguez, mais conhecido como Jay Tomy, é alvo de uma investigação da Polícia Metropolitana de Cartagena depois de publicar um vídeo em que dá ‘picolés de sabão’ a moradores de rua da cidade.

No vídeo, Domíngez e outros indivíduos, entre eles uma mulher, são vistos comprarando alguns sabões do mercado. Depois disso, eles perfuraram a extremidade de cada um dos produtos, colocaram um palito de madeira, cobriram com chocolate e entregaram a algumas pessoas na rua – inclusive algumas pessoas que vivem em situação de rua – que, num primeiro momento, ficaram agradecidos, mas depois passaram mal.

Algumas das vítimas do “trote” tossiram e passaram mal. A ingestão do produto tem como consequências: diarreia, vômito, náusea e lesões no sistema digestivo. A “brincadeira” rendeu muitas críticas negativas e o humorista pode pegar de 5 a 11 anos de prisão por “simular ou forjar alimentos”, conforme declaração do general da polícia metropolitana à rádio Caracol.

Foi aberta uma investigação pelo Ministério Público local para identificar quem são os envolvidos no caso. O influenciador Jay Tomy, que tem cerca de 70 mil seguidores, foi preso em outras duas ocasiões – ambas por gravar vídeos para o seu canal.

A primeira prisão ocorreu em 2014, em La Paz (Bolívia) por simular um assassinato em uma das avenidas mais movimentadas da cidade. A segunda em fevereiro desse ano, quando espirrou em pessoas na rua em meio às ameaças da pandemia de covid-19.

Através de sua assessoria de imprensa, Domínguez se desculpou:

“Peço desculpas às pessoas envolvidas e à comunidade em geral. A partir de uma reflexão profunda, percebi que há uma linha estreita entre o que pode ser percebido como uma piada e o que pode ser percebido como uma ação que atenta contra as pessoas. Convido a comunidade de influenciadores a refletir e gerar espaços para debater esses limites e evitar a superação das barreiras que vão da diversão à brincadeira de mau gosto”, diz a nota. Mais tarde, ele postou um vídeo onde canta uma música se desculpando, na qual diz que não teria problema se fosse preso.

***
Redação Conti Outra, com informações de UOL.
Foto: Reprodução/Youtube.

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


COMPARTILHE

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS




CONTI outra
As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.