Incenso e Meditação: O guia Completo

Originado de culturas antigas no Egito, Índia e China, a queima de incenso tem sido uma parte essencial dos rituais e práticas de meditação do Budismo por milhares de anos.

CONTI outra

Nos rituais e práticas espirituais do budismo, a queima de incenso é muito utilizada para reverenciar três aspectos do Budismo: Buda, o Dharma e o Sangha. Na verdade, proclamar a devoção a essas três coisas é um passo importante para se tornar um verdadeiro budista. Do ponto de vista espiritual, a queima de incenso, a fumaça perfumada, é uma forma de queimar todos os aspectos negativos intrínsecos, restando somente o Eu interior.

Alguns praticantes acendem o incenso durante a meditação, já outros queimam antes da meditação para purificar o ar do ambiente. Pois queimar ervas, madeiras e resinas específicas podem contribuir com propriedades medicinais para limpar o espaço e induzir um estado de bem-estar.

Se você decidir queimar incenso enquanto medita, certifique-se de fazê-lo em uma sala bem ventilada, e de manter uma distância de mais de dois metros do incenso para não inalar a fumaça diretamente. O perfume pode então criar um ambiente relaxante para sua prática.

Originado de culturas antigas no Egito, Índia e China, a queima de incenso tem sido uma parte essencial dos rituais e práticas de meditação do Budismo por milhares de anos. Surpreendentemente, pesquisas científicas também mostram que a queima de incenso traz muitos benefícios ao nosso cérebro.

Melhores incensos para meditação:

O cheiro agradável de incenso influencia o humor, as emoções e o cérebro de uma forma muito positiva. Os seguintes sabores de incenso são comumente usados para o budismo, meditação e outras práticas espirituais:

O sândalo é usado há mais de quatro mil anos e é o mais popular, usado pela maioria dos budistas, que queimam o sândalo em mosteiros e templos há séculos. O aroma quente, rico e amadeirado do raro e precioso sândalo promove relaxamento, abertura e aterramento, além de ter efeitos calmantes especiais na mente.

O olíbano é outro ingrediente clássico do incenso, usado há milhares de anos em muitas culturas diferentes. Tem um efeito calmante sobre o sistema nervoso, pois contém certos fitoquímicos que afetam o córtex cerebral e o sistema límbico, responsáveis por nossas emoções. O olíbano é considerado uma madeira rara, pois poucos lugares na Terra proporcionam o clima que essas árvores considerariam adequado para o seu crescimento.

A lavanda é excelente para meditação. Eles aumentam o relaxamento muscular para que você possa entrar em uma vibração meditativa. A queima dos incensos de lavanda durante a meditação fará com que você relaxe e se acalme. Lavanda acalma o ambiente e proporciona maior relaxamento enquanto você medita, o aroma fará com que sua mente se sinta em paz e rodeada de beleza.

Palo Santo tem sido usado por centenas de anos por xamãs nativos. O aroma do Palo Santo é exclusivamente doce e amadeirado. É muito comum a utilização de óleos essenciais ou incensos durante meditação, oração ou outros momentos espirituais.

Uma ótima dica na hora de escolher o seu incenso para meditação é optar por incensos orgânicos, livres de materiais pesados e tóxicos. Assim, além de estar livre de qualquer efeito colateral, você obterá todos os benefícios dos incensos.

Sobre Yogateria

Uma marca de produtos de yoga e bem-estar que nasceu da intenção de colocar um tapete de yoga na casa de cada brasileiro e de ajudar a fazer milhões de pessoas mais felizes. Com produtos testados e amados por yogis em todo o mundo, conquistou também os brasileiros com sua alta qualidade, estilo, inovação, consciência ambiental, entrega rápida e excelente custo-benefício.

***
Photo by Conscious Design on Unsplash

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


COMPARTILHE

RECOMENDAMOS




LIVRO NOVO: FABÍOLA SIMÕES




COMENTÁRIOS




CONTI outra
As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.