Idoso de 97 anos salva a aldeia pintando as casas com arte colorida

“Mas então todo mundo se afastou ou morreu e eu me tornei solitário.” Sem ter para onde ir, ele se voltou para a arte para aliviar seu sofrimento.

CONTI outra

Há pouco mais de 10 anos, Huang Yung-fu, então com 86 anos, enfrentou um dilema. O governo taiwanês ameaçava derrubar sua aldeia, pois ele era o último residente remanescente, na tentativa de construir um complexo de apartamentos mais moderno. Ele recebeu oferta de dinheiro para fazer as malas e se mudar para outro lugar, mas não conseguiu suportar a ideia de deixar a única casa que conhecera em Taiwan. Foi quando ele começou a pintar.

Huang, agora carinhosamente conhecido como “Vovô Arco-Íris”, nasceu na China. Depois de lutar na Guerra Sino-Japonesa e na Segunda Guerra Mundial, ele lutou pelo Partido Nacionalista contra o governo comunista de Mao Tsé-Tung. Quando os nacionalistas perderam, ele e 2 milhões de outros fugiram para Taiwan. E lá ele foi alojado em uma aldeia improvisada montada apressadamente para os membros entrantes dos militares e suas famílias. O que deveria ser uma solução temporária acabou se tornando o lar.

Então, foi um choque quando, 40 anos depois, parecia que sua casa seria destruída. “Quando cheguei aqui, a vila tinha 1.200 residências e todos nos sentávamos e conversávamos como uma grande família”, compartilhou Huang com a BBC . “Mas então todo mundo se afastou ou morreu e eu me tornei solitário.” Sem ter para onde ir, ele se voltou para a arte para aliviar seu sofrimento.

Primeiro, ele pintou um pequeno pássaro em seu bangalô. Continuou com gatos, pássaros e pessoas que começaram a fluir pelos prédios vazios da aldeia. Então, em 2010, um estudante universitário local deu com a aldeia e depois de ouvir a história de Huang, prometeu ajudar. Ele tirou algumas fotos da aldeia e começou uma campanha de arrecadação de fundos e uma petição para salvá-la da destruição.

A notícia rapidamente se tornou viral e o “Vovô Arco-iris”” nasceu. Capturando o coração da nação, a aldeia colorida tornou-se um grande atrativo para os turistas e continua a trazer mais de um milhão de visitantes por ano. O melhor de tudo, Huang consegue manter sua casa.

“O governo me prometeu que vai manter esta casa e esta aldeia”, disse ele . “Eu estou tão feliz e agradecido.”

Huang Yung-fu, de 97 anos, é conhecido como “Vovô Arco-Íris” pelas pinturas coloridas que criou em sua aldeia.

Esse assentamento militar temporário já abrigou 1.200 famílias, mas corria o risco de ser demolido.

Huang, que era o único residente remanescente, recusou-se a se mudar. Em vez disso, ele pegou um pincel …

… E começou a pintar todas as superfícies da aldeia.

Depois que sua história chamou a atenção do público, o governo decidiu salvar os prédios.

 

Via Pensar Contemporâneo

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


COMPARTILHE

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




CONTI outra
As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.