Essa senhora trabalhava como professora de química, na cidade de Odessa, na Ucrânia. Mas, com o início dos conflitos do país com a Rússia, ela precisou fugir da guerra.

Tetiana Lytvynenko, que tem 60 anos, pegou um ônibus que a deixou na fronteira da Romênia, caminho que teve que fazer a pé. Lá, ela encontrou um abrigo para refugiados e depois foi para um hotel.

Nesta sexta-feira (4), depois de uma semana de tensão e angústia, Tetiana reencontrou a filha, também ucraniana, no aeroporto de Guarulhos, em São Paulo.

Foto: Reprodução/TV Globo

O abraço das duas foi um momento emocionante. Anastasiia Lytvynenko, sua filha, também conhecida como Ana, é professora de inglês no Brasil. O marido da jovem se chama André Danemberg e contou que a família precisou de uma rede de apoio internacional para conseguir tirar a sogra da zona de conflito.

Foto: Reprodução/TV Globo

Tetiana não fala português, mas ficou extremamente emocionada ao reencontrar Ana, que está há dois anos no Brasil. Ela decidiu morar no país para acompanhar o marido.

Foto: Reprodução/TV Globo

De acordo com o G1, somente nesta semana, cerca de 40 brasileiros que estavam escondidos num bunker de um hotel em Kiev, também chegaram ao Brasil pelo aeroporto de Guarulhos.

Com informações de G1

RECOMENDAMOS




LIVRO NOVO: FABÍOLA SIMÕES







As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.