Idosa de 92 anos desembolsa R$1200 para ser vacinada contra Covid-19, mas a vacina era falsa

A polícia informou que está procurando o suspeito. Ele teria pedido à mulher o equivalente a cerca de R$ 1.200 para "vaciná-la" contra Covid-19.

CONTI outra

Em Londres, na Inglaterra, um homem que se passava por funcionário do Serviço Nacional de Saúde do Reino Unido (NHS) injetou uma falsa vacina contra a covid-19 em uma senhora de 92 anos. O golpe custou à idosa quantia equivalente a cerca de R$ 1.200.

De acordo com a polícia de Londres, o golpista abordou a idosa, ofereceu a vacina e disse que era “crucial” que o pagamento ocorresse o mais rápido possível, pois o contrário “poderia colocar a vida das pessoas em perigo”.

Kevin Ives, investigador responsável pelo caso, descreveu o incidente como uma “agressão nojenta e totalmente inaceitável”.

O caso ocorreu depois que o NHS fez um alerta para as população, esclarecendo dque nenhum servidor do sistema de saúde britânico vai aparecer na porta das pessoas oferecendo vacinas. O anúncio aconteceu após uma série de mensagens de texto com informações falsas sobre o assunto terem sido enviadas a cidadãos do país.

Segundo os planos atuais de vacinação contra o coronavírus no Reino Unido, é o médico de família e profissional de saúde que vão orientar as pessoas sobre a vacina.

De acordo com a polícia, a idosa permitiu a entrada do golpista em sua casa na tarde de 30 de dezembro. Ela relatou ter sido picada no braço com um “instrumento parecido com um dardo”. Depois, ela pagou ao homem – ele disse a ela que o montante seria reembolsado pelo NHS.

A polícia afirma não saber qual substância foi administrada no braço da idosa, mas a mulher foi examinada no hospital local e não apresentou efeitos colaterais.

O detetive Ives solicitou informações para ajudar a identificar o suspeito.

“A prisão dele deve ocorrer o mais rápido possível, pois ele não está apenas enganando as pessoas por dinheiro, mas pode estar colocando a vida delas em risco”, acrescentou.

O golpista ainda fez uma segunda visita à casa da mulher em 4 de janeiro, quando pediu mais dinheiro, afirma a polícia.

Na sexta-feira, a polícia divulgou imagens de câmeras de vigilância que mostram um homem vestido com roupa azul marinho com listras brancas nas laterais. Ele seria suspeito da fraude.

Um porta-voz do Departamento de Saúde do Reino Unido afirmou: “O NHS na Inglaterra nunca pedirá detalhes bancários, números de PIN ou senhas quando contatar uma pessoa sobre a vacina.”

“Qualquer comunicação alegando ser do NHS, mas solicitando um pagamento ou dados bancários, é fraudulenta, deve ser ignorada e relatada à polícia.”

“Ninguém nunca será cobrado pela vacina”, acrescentou o porta-voz.

***
Redação Conti Outra, com informações de Terra.
Foto destacada: Polícia de Londres / BBC News Brasil.

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


COMPARTILHE

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS




CONTI outra
As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.