Homens e mulheres vivem tempos diferentes

Tenho a sensação que a entrega pra mulher é maior, ela se expõe mais, sente mais, é mais intensa, precisa estar segura, ter confiança, os homens são mais superficiais, fáceis, livres.

Uma amiga me contou, passou seis meses olhando de longe um sujeito, analisando, observando cada gesto dele, percebendo-o, até decidir se aproximar dele e se declarar. Estão junto até hoje.

Outra amiga terminou com o namorado, fim da relação, ela passou seis meses na dela, ele, não perdeu tempo, saiu, ficou com outras, minha amiga curava as feridas, se cuidava, pensava, sofria em silêncio, ele aproveitava a vida de recém-solteiro, ela cicatriza, ele se enganava.

Seis meses depois ela começou a sair, pronta, decidida, curada, segura, sentiu o que tinha que sentir, agora era seguir em frente, pra ela sim, mas pra ele, não. Seis meses depois ele percebeu o quanto ainda gostava dela, o quanto ainda a queria, mas era tarde pra ele, ela não voltou, ela seguiu.

Penso, homens e mulheres vivem tempos diferentes, os homens são mais rápidos, as mulheres mais cautelosas, homens mais práticos e objetivos, mulheres mais serenas e prudentes, vivem tempos diferentes.

Tenho a sensação que a entrega pra mulher é maior, ela se expõe mais, sente mais, é mais intensa, precisa estar segura, ter confiança, os homens são mais superficiais, fáceis, livres.

As mulheres são seguras e decididas em suas resoluções, quando decidem viver um amor, vivem, mas quando decidem não querer mais, não querem, não adianta mi mi mi, drama, choro e vela, mulheres sabem colocar um ponto final, dizer um não e segurar a barra.

Homem não sabe ou não gosta de terminar uma relação, empurra com a barriga, vai levando sem querer, sustentando por um fio, se segurando, nunca sabe o que realmente quer, se estão solteiros, querem namorar, se estão namorando, querem viver como se estivessem solteiros.

O tempo sempre é diferente para homens e mulheres, pra eles mais rápido, pra elas mais lento, eles vão e voltam, elas quando vão, não voltam mais. Acredito que seja assim.

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


COMPARTILHE

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Ronaldo Magella
Ronaldo Magella é da Paraíba, Santa Luzia, professor, jornalista, radialista, cronista, poeta, já publicou três livros de crônicas e tem participação em outras cinco antologias literárias. Formado em Jornalismo e Letras pela Universidade Estadual da Paraíba, Campina Grande, PB. Solitário e tomador de café, gosta da vida pelo improviso, se cansa da monotonia, e brinca com o tédio escrevendo.