Faleceu nesse domingo (23/10), aos 94 anos, o irarinano Amou Haji, conhecido como “o homem mais sujo do mundo”. De acordo com a imprensa local, ele morreu no vilarejo de Dejah, no sul do país, depois de finalmente tomar um banho.

Amou Haji não tomava banho desde os seus 20 anos de idade por “medo de ficar doente”. Entretanto, vizinhos relataram à agência de notícias Irna que o iraniano se lavou com água e sabão meses antes de falecer.

Em entrevista concedida ao Tehran Times em 2014, o idoso revelou que sua refeição preferida era porco-espinho e que vivia entre um buraco no chão e um refúgio de alvenaria construído por vizinhos preocupados com ele no vilarejo de Dejgah.

Na época, ele contou à publicação que suas escolhas incomuns se deviam a “contratempos emocionais” quando era mais jovem.

Mais de meio século sem tomar banho o deixaram com a pele coberta de “fuligem e pus”, segundo a agência de notícias Irna, enquanto sua alimentação consistia em carne podre e água insalubre tomada em uma lata de óleo velha.

A história de vida de Amou Haji virou filme em 2013: o curta-metragem retrata a trajetória do heremita ao longo dos anos.

***
Redação Conti Outra, com informações do Metrópoles.
Foto destacada: Reprodução.

RECOMENDAMOS




LIVRO NOVO: FABÍOLA SIMÕES







As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.