Allan Douglas é um bancário de 30 anos que utilizou suas redes sociais para fazer um alerta sobre o consumo de cigarros eletrônicos, também chamados de “vapers”. O morador de Manaus contou que teve o pulmão perfurado depois que intensificou o uso do dispositivo em uma viagem de férias.

Foto: Reprodução Redes Sociais

O homem tem quase 26 mil seguidores e contou em uma publicação que precisou ficar internado em um hospital manauara. Ele também fez um alerta sobre os riscos dos vapers.

Ao jornal O Globo, Allan disse que estava usando os cigarros eletrônicos há cincos meses, mas apenas esporadicamente. Mas, a situação mudou quando ele tirou férias e fez uma viagem ao Rio de Janeiro, onde passou a fumar todos os dias durante duas semanas.

“Eu apenas fazia uso em saídas com os amigos, mas como não estava trabalhando, usei todos os dias, principalmente na praia. Não costumava tragar, apenas aspirar. Acredito que seja muito importante discutir isso amplamente porque cada um tem um organismo e existe o risco”, disse ele em entrevista.

Depois de 11 dias internado, o bancário recebeu alta. Atualmente, a venda de cigarros eletrônicos não é permitida no Brasil.

No ano de 2019, após uma onda de casos nos Estados Unidos, o Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos criou o nome Evali para designar uma doença pulmonar associada ao uso do dispositivo.

Pesquisas já comprovaram que as bactérias naturais do pulmão se tornam mais nocivas causando mais inflamações quando são expostas ao vapor do cigarro eletrônico. Essa situação pode levar a doenças como a DPOC, doença pulmonar obstrutiva crônica, e asma.

Com informações de Metrópoles

RECOMENDAMOS




LIVRO NOVO: FABÍOLA SIMÕES







As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.