Há um ano, cachorrinho volta todos os dias ao mesmo lugar para esperar por seu dono, que já faleceu.

Na Mongólia, um cachorrinho volta todos os dias, desde agosto de 2018, aos mesmo corrimão em um entroncamento rodoviário para esperar por seu dono, que faleceu em um acidente.

REDAÇÃO CONTI outra

Você já ouviu falar do cachorro japonês Akita chamado Hachiko? Se sua resposta for não, nós lhe contamos um pouco. Hachiko foi considerado um herói nacional para os japonês. Ele tem, inclusive, sua própria estátua de bronze ao lado da estação de trem em Shibuya, em Tóquio.

De acordo com a história, o cão esperou por seu dono falecido na estação de trem por mais de 9 anos. Naturalmente, o cão não tinha ideia de que seu dono nunca retornaria após sofrer hemorragia cerebral no trabalho.

No entanto Hachiko nunca parou de ir à estação de trem todos os dias durante 9 anos e 9 meses. Sempre vinha antes do trem que costumava levar o professor Hidesaburō Ueno, seu dono. Hachiko faleceu na rua perto da estação de trem de Shibuya em 8 de março de 1935.

Por causa disso, Hachiko tornou-se famoso em todo o mundo e até inspirou um filme com Richard Gere, que você deve ter assistido, chamado “Sempre ao seu lado”.

Desde então, vários cães também fizeram coisas semelhantes, mas nenhum ultrapassou o recorde de Hachi.

Recentemente, os usuários na Internet têm chamado um cachorro na Mongólia de Hachiko moderno, já que este cão fiel está esperando no corrimão em um entroncamento rodoviário por seu dono que infelizmente não vai chegar também.

Este cão sem nome não tem idéia de que seu dono faleceu no acidente de carro que aconteceu por lá. Como Hachiko, o cão continuou voltando para o local, esperando que seu dono esteja por lá e o resgate.

O cão permanece na beira da estrada desde 21 de agosto de 2018. Os motoristas se preocuparam com a difícil situação do cachorro, já que ele pode ser atropelado por um carro, considerando-se uma rua muito movimentada. O cachorro fica lá mesmo com chuva ou com frio.

Algumas pessoas se preocupam com o bem-estar do cão e esperam que, por meio de imagens compartilhadas, a família do proprietário o reconheça e aja em breve.

Embora muitas pessoas tenham tentado, o cão recusa ajuda. Embora algumas pessoas também tenham colocado comida nas proximidades, ele se recusa a tocar a água e a comida que ficam no local de espera.

Redação CONTI outra. Com informações de Nation

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


COMPARTILHE

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




REDAÇÃO CONTI outra
As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.