Há 20 anos, ele desenha uma lista telefônica para sua avó que não sabe ler nem escrever.

Não saber ler e escrever a impedia de se comunicar com amigos e familiares. Foi então que seu neto teve uma ideia e tudo mudou.

Ana Carolina Conti Cenciani

Encarna Alés é uma avó de 74 anos que levou uma vida inteira de trabalho e nunca teve tempo para terminar os seus estudos; e por conta disso ela não sabe ler nem escrever. Felizmente, a senhora tem seu neto como um companheiro que a ajuda diariamente com esse problema.

Alés, que mora na Andaluzia, na Espanha, teve que deixar a escola aos oito anos para trabalhar, e nunca mais conseguiu voltar a estudar. Por conta disso, ela não consegue realizar tarefas simples que demandam a habilidade da leitura. Não saber ler e escrever a impedia de se comunicar com amigos e familiares. Foi então que seu neto teve uma ideia e tudo mudou.

Com apenas 11 anos, Pedro Ortega, neto de Alés, encontrou uma solução para ajudar a avó a se comunicar por telefone. Ele fez desenhos ao lado dos números de telefone, para que Alés entendesse a quem os números pertenciam.

“Um dia, eu e meu pai fomos à casa dos meus avós para anotar os números de telefone dos amigos deles. Mas percebi que isso não ajudaria minha avó, pois ela não entendia a letra. Depois, em cada página e para cada número, comecei a desenhar uma imagem para que ela identificasse a pessoa para quem ela queria ligar.” – Pedro Ortega para a BBC.

Ortega, agora um especialista em comunicações de 31 anos, disse à BBC que sua avó mantém esse método há duas décadas, sempre interpretando os desenhos que representam as características únicas das pessoas ou lugares.

“Sempre que a visito, faço novos desenhos. Tornou-se algo especial entre nós”, disse o jovem.

Pedro também ressalta que o que ocorreu com sua avó -parar os estudos para trabalhar- era típico da época. “Ela teve que deixar a escola aos oito anos para trabalhar em uma padaria e sustentar sua família. Eles a pagavam com comida em vez de dinheiro”, disse ele.

Segundo a BBC e de acordo com um relatório de 2016 do Instituto Nacional de Estatística, cerca de 700.000 espanhóis não sabem ler nem escrever e deste grupo, 400.000 têm mais de 70 anos.

Essa história em particular, tornou-se popular nas redes sociais e muitas pessoas começaram a compartilhá-la. Os desenhos de Ortega fizeram sucesso e todos admiraram sua atitude que com certeza mudou a vida de sua querida avó!

 

Com informações de UPSOCL

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


COMPARTILHE

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS




Ana Carolina Conti Cenciani
Ana, 19 anos, estudante de Artes Visuais na UNESP de Bauru. Trago aqui notícias que são boas de se ler.