Gato foge de casa para acompanhar velório de sua dona

Alguns ainda duvidam do afeto que os gatos são capazes de sentir pelos seus donos. Se este é o seu caso, esta história vai fazer você reavaliar tudo o que você achava que sabia sobre os felinos.

REDAÇÃO CONTI outra

Alguns ainda duvidam do afeto que os gatos são capazes de sentir pelos seus donos. Se este é o seu caso, esta história vai fazer você reavaliar tudo o que você achava que sabia sobre os felinos.

Luzia Aparecida Alencar dos Santos, de 32 anos, e a filha dela, Júlia dos Santos, de três, faleceram em um acidente com um ônibus de turismo que saía de Campos do Jordão (SP) com destino a Baixada Santista. Elas foram veladas na Osan, em São Vicente, no litoral paulista. E, dentre todos os presentes, alguém atraiu a atenção de familiares e amigos. Um gato chamado Ópera – bichinho de estimação da menina Júlia – acompanhou todo o velório e não saiu do lado do caixão da criança.

De acordo com familiares, o gato teria aproveitado que o portão da casa estava aberto quando a família saía para o velório e se escondeu embaixo do banco do carro. Durante toda a manhã, ele permaneceu em volta dos caixões e, em alguns momentos, ficou sentado em uma cadeira com os familiares.

No local, familiares registraram o gato, em alguns momentos, saindo do interior da capela apenas para beber água em uma vala no entorno e, em seguida, voltando para o mesmo lugar onde ocorreu a cerimônia. Ambas foram sepultadas juntas às 16h de terça-feira, no Cemitério Municipal da cidade.

***

REDAÇÃO CONTI outra. Com informações de G1

Imagens: Carlos Nogueira/Jornal A Tribuna de Santos- reprodução G1

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


COMPARTILHE

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




REDAÇÃO CONTI outra
As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.