Às vezes parece não haver limite para a crueldade humana. Um triste exemplo disso é um caso ocorrido no Canadá. Era 14 de fevereiro, Dia dos Namorados, época do ano em que o país costuma enfrentar um rigoroso inverno e as temperaturas tendem a cair a -13ºC. Naquele dia, uma mulher ouviu uns barulhinhos estranhos vindos do quintal. Ela foi investigar e se deparou com um gato malhado laranja parado na neve, parecendo quase congelado, batendo na porta e miando. Ele tinha sido abandonado na neve e caminhou pelas ruas batendo de porta em porta para pedir ajuda.

Comovida com a cena, a mulher imediatamente recolheu o gatinho em sua casa, o fotografou com seu celular e ligou para o Un Chat à la Fois (Um Gato de Cada Vez, em português), onde foi atendida pela própria Marie, que pediu à mulher que levasse o gato até um veterinário parceiro da associação. Menos de meia hora depois, o bichinho deu entrada na clínica.

A mulher conta que o gatinho entrou sozinho no veículo de transporte e, chegando ao veterinário, ficou totalmente tranquilo, submeteu-se a todos os exames. Ele tirou sangue e fez raios-X sem mostrar resistência, o que indica que se tratava de um animal doméstico, acostumado com os seres humanos. Por sua bravura, o gatinho foi batizado como Aslam, em referência ao famoso leão da série ‘As Crônicas de Nárnia1.

“Nós pensamos que ele era um gato perdido porque era muito amigável para ter nascido na natureza. Ele não tinha microchip e não foi castrado”, afirmou Simard, o que levou à conclusão de que se tratava de um animal abandonado por donos irresponsáveis que, como acontece em muitos casos, não têm dinheiro para pagar um veterinário.

Infelizmente, o diagnóstico do gatinho não foi dos melhores. Aslam estava com dentes podres, tinha várias feridas causadas pelo frio, uma marca de mordida que sangrava, pulgas, vermes, além de ser diabético e ter várias alergias de pele. O exame de sangue estava tão ruim que ele teve que ficar internado por alguns dias para se estabilizar.

Quando terminou sua recuperação, foi adotado pela mulher que o encontrou. Ao menos ele teve um final feliz.

***
Redação Conti Outra, com informações de MegaCurioso.
Fotos: One cat at time/Facebook/Reprodução

RECOMENDAMOS




LIVRO NOVO: FABÍOLA SIMÕES







As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.