A história dessas duas começa quando a humana Francisca Franken viu essa gatinha chamada Bean no site de um abrigo e imediatamente quis adotá-la. Mais tarde, ela descobriu que a peluda estava no site há mais de um mês e no abrigo há quase um ano. O abrigo disse que as pessoas achavam que ela parecia ‘mal-humorada’ e ‘feia’ e ninguém a queria. Isso partiu o coração de Francisca e ela sabia que precisava levar Bean para casa com ela.

Em entrevista ao Bored Panda, Francisca contou mais detalhes sobre sua história com Bean. “Morei um ano sem gato e depois me mudei para um apartamento maior com varanda para adotar um gato. Eu não estava pensando em conseguir um imediatamente, porque é sempre um compromisso. Bem, isso foi até que vi a foto de Bean enquanto navegava no site do abrigo local uma noite.”

“Eu vi a foto dela e me apaixonei no segundo em que a vi. Bem, no começo eu ri porque as fotos eram muito engraçadas e eu nunca tinha visto um gato assim antes.”.

Instagram @bebbybeansprout

Após ter demonstrado interesse pela gatinha, Francisca recebeu um telefonema do abrigo, que queria confirmar se não havia sido engano. “A mulher que me ligou estava com medo que eu simplesmente apertasse o botão errado ou algo assim e não estivesse realmente interessado nela. Eu chorei com o pensamento de que a pobre Bean não tinha ninguém que quisesse amá-la, então marquei um encontro direto com eles para o dia 8 de janeiro. Eu estava tão nervosa…”.

Instagram @bebbybeansprout

Francisca ficou tão feliz ao ver Bean na vida real que chorou e a levou para casa no mesmo dia. “Bean era (e ainda é) tão minúscula e pequena que tinha pernas grossas e cauda curta. E o rosto mais fofo que eu já vi. Comecei a chorar quando entrei em seu abrigo porque estava muito emocionada. Ela não era nada do que eu tinha imaginado, mas era muito melhor do que isso.”.

Instagram @bebbybeansprout

O amor foi à primeira vista. “Ela esfregou o rosto nas minhas pernas e era tão carinhosa e amorosa quando eu estava lá. Quando saí para assinar o contrato, ela subiu em uma cadeira para me observar de dentro. Seus olhos tristes me fizeram chorar de novo.”

Instagram @bebbybeansprout

Bean se adaptou muito rapidamente à sua nova casa e agora tem uma dona amorosa e atenciosa. “Eu a trouxe para casa comigo e ela imediatamente se jogou no sofá e dormiu por várias horas como se nunca tivesse descansado antes. Só depois disso, ela começou a explorar. Ela passou a primeira noite na cama comigo e tem feito isso desde então.”.

Instagram @bebbybeansprout

Francisca também conta que adotar a bichana foi a melhor coisa que já lhe aconteceu. “Ela está me trazendo muita alegria e é simplesmente a melhor sensação saber que tem alguém em casa esperando por mim quando eu volto do trabalho. Ela se levanta no parapeito da janela quando eu saio para o trabalho e me observa ir embora, enquanto eu aceno para ela (eu sou uma mãe gata louca? Talvez.) E ela espera na porta quando eu volto.”

Instagram @bebbybeansprout

Francisca e Bean estão muito felizes por terem se encontrado. “Será que alguma vez pensei que adotaria uma mistura exótica de shorthair com problemas médicos? Não. Ela não era o que eu procurava, mas me apaixonei por ela no segundo em que a vi e ela é a melhor coisa que me aconteceu.”, completa a dona feliz.

Instagram @bebbybeansprout

Com informações de Bored Panda

RECOMENDAMOS




LIVRO NOVO: FABÍOLA SIMÕES







Ana, 20 anos, estudante de Artes Visuais na UNESP de Bauru. Trago aqui matérias que são boas de se ler.