Um garotinho de 13 anos de idade precisou ficar sozinho em casa durante longos 66 dias depois que seus pais foram obrigados a ficar em lockdown, uma quarentena severa, em outra cidade da China.

Foto/RawPixel

No dia 28 de fevereiro, os pais do menino viajaram para Xangai para buscar um tratamento para o pai. Mas, foi somente no final de abril que a família retornou para casa, em Kunshan, no leste do país e reencontrou a criança.

O garotinho precisou aprender a se virar sozinho: ele frequentou suas aulas online e ainda cuidou dos bichinhos de estimação da família, um gato e um cachorro. O reencontro com os pais aconteceu na última sexta-feira (8).

Em entrevista para a mídia local, a mãe do menino contou que ficou muito preocupada com o bem-estar do filho e que chorou enquanto falava com ele por telefone.

Além disso, ela contou sobre as técnicas que usou para ajudar o filho à distância. Ela tentou organizar entregas de comida para o menino, mas o serviço foi suspenso durante algumas semanas de abril para evitar a disseminação da Covid-19. Por causa disso, a mãe pediu ajuda para trabalhadores da gestão comunitária, que acabaram ajudando o menino e enviavam almoços embalados para ele. A mãe chegou a ensinar o filho a cozinhar pratos simples.

Foto/RawPixel

Quando chegou em casa, a mulher afirmou que o local estava todo bagunçado e sujo. Segundo ela, não dava nem para “colocar os pés no chão”.

“Mas devo elogiá-lo, porque administrou bem a situação nos últimos dois meses. Ele nunca reclamou. Em vez disso, muitas vezes nos confortava”, contou ela.

A cidade de Xangai está seguindo a política “Covid Zero” desde o início do mês de abril de 2022. Desde então, a população está vivendo medidas restritivas intensas.

Com informações de Yahoo
Imagens meramente ilustrativas.

RECOMENDAMOS




LIVRO NOVO: FABÍOLA SIMÕES







As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.