A mãe de uma adolescente de 18 anos registrou um boletim de ocorrência contra o ex-namorado de sua filha depois que a jovem ficou desaparecida e reapareceu com o nome dele tatuado no rosto. O episódio aconteceu na cidade de Taubaté, no interior de SP. As informações são do UOL.

O ex-namorado, de 20 anos, foi detido depois de descumprir duas medidas protetivas, ao ter contato com a ex. A mãe da jovem relata que essa foi a terceira tatuagem com o nome do rapaz na vítima.

O caso corre em segredo de Justiça por causa das medidas protetivas contra o jovem. Ele será investigado pela DDM (Delegacia da Mulher) de Taubaté, a partir desta segunda-feira (23).

De acordo com a mãe, de 34 anos, sua filha saiu para ir à escola na sexta-feira (20) e até as 22h não havia voltado para casa. Ela então procurou a polícia.

“Pela manhã, fui até a rua do rapaz e vi minha filha dentro do carro. Voltei para casa e quando cheguei aqui já a encontrei tentando tapar a tatuagem com maquiagem porque tinha de ir trabalhar. Ali eu desabei”, diz a mãe da adolescente.

Ainda segundo a mãe, a jovem foi agredida ao resistir a aplicar a tatuagem. “Ela está com o olho roxo. E ele a forçou a gravar um vídeo autorizando a tatuagem. Minha filha falou que gravou com medo de algo pior acontecer”, continuou.

A mãe conta que sua filha e o rapaz começaram a namorar em 2019. “No começo, ele era um rapaz bom. Mas, após um ano de namoro começaram as crises de ciúme até que, no início de 2020, ocorreu a primeira agressão. Desde então luto para distanciar os dois”, afirmou.

O casal passou oito meses separado e, de acordo com a mãe, voltou a se encontrar quando ele prometeu que não iria mais agredí-la. No entanto, o rapaz passou a ameaçar a namorada caso esta se separasse dele. “Ele impedia ela de ter contato com amigos e familiares. Minha filha chegou a ficar incomunicável dentro da casa dele em duas ocasiões. Eu ia até lá, ninguém abria a porta, ele respondia por ela nas redes sociais. Até que ela conseguiu fugir”, disse.

A família então decidiu levar a jovem embora para São Paulo, porém uma oportunidade de emprego em um mercado atacadista a levou novamente a Taubaté. “Um dia, quando ela ia para o seu curso, ele a encontrou na rua e, com uma arma, a coagiu a entrar no carro. Logo depois, no dia 29 de maio, quando ela fez 18 anos, ele publicou nas redes duas fotos de tatuagens que ele tinha feito nela: seu nome no peito e na virilha. Na sequência fomos atrás da segunda medida protetiva.”

Após o ocorrido deste final de semana, a jovem tem chorado muito e sua mãe resolveu ficar perto dela.

“Ela está com medo, fala em tirar a própria vida. Estou tentando falar para todo o mundo que não sou uma mãe chata impedindo um namoro. É um caso grave que está acontecendo. Ele fala que se ela não for dele, não será de mais ninguém. Não tenho conseguido dormir. Eu não quero ter que enterrar minha filha”, finalizou.

***
Redação Conti Outra, com informações de UOL.
Foto destacada: Reprodução.

RECOMENDAMOS




LIVRO NOVO: FABÍOLA SIMÕES







As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.