Gabriela Pugliesi: quantas vezes uma pessoa precisa errar para realmente aprender?

Imaturidade ou falta de empatia com outros seres humanos. O que leva pessoas como Gabriela Pugliesi a manterem um posicionamento inconsequente e vergonhosamente irresponsável frente a pandemia de coronavírus?

CONTI outra

A blogueira fitness, Gabriela Publiesi, mesmo possuindo um número ímpar de seguidores, nunca foi considerada um bom exemplo para os profissionais de educação física, uma vez que ela sempre fez sua imagem pautada em passar e mostrar exercícios sem ter, contudo, formação adequada para isso.

Em março,  quando a pandemia do Covid-19 começou a ficar mais expressiva no Brasil, seu nome ficou em evidência quando ela foi infectada com o vírus. Tudo aconteceu quando ela e mais de uma dezena de pessoas se contaminaram após irem ao casamento de Marcella Minelli, irmã de Gabriela, num resort de luxo na Bahia.

Até então nós poderíamos de alguma forma relevar a situação, uma vez que as pessoas, nesse período, ainda não estavam suficientemente conscientizadas dos riscos de contaminação. Ainda era tudo muito novo no Brasil.

No último domingo, entretanto, Gabriela mostrou algo que ainda não sabemos dizer se está relacionado a uma extrema imaturidade ou a pura e simples falta de empatia com outros seres humanos. E, embora a frase anterior pareça muito forte, temos que lembrar que a “musa fitness”, justamente por ter tido a doença e sofrido muito com ela, deveria ser uma das primeiras pessoas a dar exemplo. Somado a isso, temos a questão de ela ser uma figura pública, o que torna ainda mais grave sua atitude, uma vez que ela é uma influenciadora de pessoas.

Abaixo, uma postagem de Gabriela durante a festa do último domingo, 27-04:

Crédito: Reprodução
Festinha de Gabriela Pugliesi com amigos em São Paulo

Hoje, segunda-feira, depois de ter perdido patrocinadores, Pugliesi, 34 anos, perdeu também cerca de 150 mil seguidores, segundo publicado na Uol.

“Não incentivamos atitudes que possam colocar a saúde de qualquer pessoa em risco, assim, estamos suspendendo todas as ações que tínhamos programadas com a influenciadora e adiantamos que esse é nosso posicionamento em qualquer outra situação similar”, declarou no Twitter a Liv Up, marca de alimentos saudáveis.

Vizinhos e amigos também ficaram indignados e se posicionaram com relação a atitude de Gabriela:

Postagem de Tata Werneck

Leia mais sobre a fala de Tatá Werneck aqui: Tatá Werneck se compromete a expor figuras públicas que não respeitarem a quarentena

E a fala de uma vizinha:

“Música alta e gente berrando! Se não estivéssemos em ‘isolamento’ teríamos ido pessoalmente falar com você. Festa até 7h da manhã? Vocês acham que estão aonde? O direito de vocês termina quando há desrespeito ao dos outros. Péssimo”, reclamou. (O comentário foi apagado, mas sua imagem já estava viralizando em outros perfis, segundo Catraca Livre)

 

Um pedido de desculpas foi divulgado por Gabriela:

“Eu só estou fazendo esse vídeo para pedir desculpas, do fundo do meu coração. Ontem eu juntei meia dúzia de amigos aqui em casa, a gente pediu comida, bebeu. Eu me passei, postei, falei besteira. Enfim, estou extremamente arrependida, estou mal comigo mesma, fui irresponsável, imatura, e mais uma vez quero pedir desculpas. Errei porque não é para juntar gente em casa, porque tem gente passando dificuldade, porque é ofensivo, não ajuda ninguém nesse momento. A quarentena está difícil para mim, mas sei que está muito mais difícil para outras pessoas. E eu que me proponho sempre a falar sobre como a vida pode ser maravilhosa, tenho que ter responsabilidade sobre o que eu falo, sobre o que eu faço, sobre o que eu posto. Então, queria pedir desculpas do fundo do meu coração”.

O pedido de desculpas soou infantil. Como uma criança que fez arte, Gabriela pede desculpas enquanto diz que foi imatura e irresponsável.

Agora, a questão que fica é, o quanto uma pessoa precisa errar para aprender?

Esperamos que, na falta de maturidade (ou seria de humanidade?), a exposição pública e as perdas financeiras sejam o suficientes para educar a jovem.

É forte, mas é a verdade.

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


COMPARTILHE

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS




CONTI outra
As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.