Segundo Sheera Frenkel, repórter de tecnologia do The New York Times, funcionários do Facebook não estavam conseguindo acessar o prédio da empresa porque seus crachás não estavam funcionando.

“Acabei de falar ao telefone com alguém que trabalha para o FB [Facebook] que descreveu os funcionários que não conseguiram entrar nos prédios esta manhã para começar a avaliar a extensão da paralisação porque seus crachás não funcionavam para acessar as portas”, escreveu ela no Twitter.

Nesta segunda-feira (4), usuários do mundo inteiro relataram problemas e instabilidade no uso de WhatsApp, Facebook e Instagram, redes sociais sob comando do Facebook, de Mark Zuckerberg.

De acordo com a agência France Presse, o impacto potencial é sobre dezenas de milhões de usuários. No início desta noite, depois mais de cinco horas de pane, os serviços voltaram a funcionar para uma parcela de seus usuários, mas ainda com instabilidade.

“Para todos que foram afetados pela interrupção das nossas plataformas hoje: sentimos muito. Sabemos que bilhões de pessoas e negócios em todo o mundo dependem de nossos produtos e serviços para permanecer conectados. Agradecemos sua paciência à medida que voltamos a ficar online”, afirmou o Facebook em nota na noite desta segunda-feira.

No Brasil, o site Downdetector, que monitora instabilidade em serviços online, identificou grandes picos de relatos de usuários enfrentando problemas nas três redes sociais, e havia indicativos de “interrupção generalizada” ao menos no Facebook por volta das 13h30 (horário de Brasilia).

***
Redação Conti Outra, com informações de IG e BBC.
Foto destacada: Reprodução.

RECOMENDAMOS




LIVRO NOVO: FABÍOLA SIMÕES







As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.