O jornalista Cid Moreira, de 93 anos, enfrenta um momento delicado na relação com dois de seus filho, Rodrigo Moreira, filho biológico, e Roger Moreira, adotivo. Ambos acusam o pai por abandono.

Recentemente, Roger Moreira, disse em entrevista a Fabíola Reipert que foi abandonado e deserdado por Cid Moreira, que adotou o cabeleireiro quando ele tinha 20 anos.

Em resposta, a atual esposa do apresentador, Fátima Moreira, disse nas redes socisis que o rapaz foi adotado já adulto.

“Cheguei na vida do Cid em 2000, nos conhecemos no Ceará e esse moço estava com ele, ainda não era adotado. Já era um moço adulto e fazia dois anos que ele [Cid] havia se separado da tia desse rapaz — ele é adotado pelo Cid e pela tia. Ele já era adulto.”, disse a atual esposa de Cid Moreira.

O afastamento Cid Moreira e o filho adotivo se deu em razão dos custos de manter um estúdio que Roger trabalhava. Cid passou a gravar em casa. Fátima disse que o apresentador saiu do salão e que Roger decidiu processar Cid. De acordo com ela, eles não tinham mais nada em conjunto.

“Não tinha mais sociedade com a ex-mulher, mais nenhuma relação profissional com ele. Estávamos fora do país quando saiu a notícia, foi constrangedor. Eles pararam de relacionar”, completou.

Filho biológico

Rodrigo Moreira, filho biológico de Cid Moreira, relatou que, assim como seu irmão adotivo Roger Moreira, ele também foi abandonado pelo pai.

No programa “Balanço Geral”, da Record TV, Rodrigo contou que nunca recebeu afeto do pai e afirmou que “essa confusão que aconteceu com Roger [também] aconteceu comigo a vida inteira”, em alusão à ausência de Cid em sua vida.

Hoje morando no interior de São Paulo, o comerciante é fruto do relacionamento entre Cid Moreira e Olga Verônica Radenzev Simões. Segundo ele, foi sua mãe quem tomou a iniciativa de deixar o jornalista, e não o contrário.

Na entrevista, Rodrigo disse que uma vez sua mãe lhe contou que, quando ele era criança, o ex-apresentador da Globo teria batido nele — na ocasião, ele estava aprendendo a andar e teria derrubado objetos no chão ao puxar a toalha da mesa.

“Ela me disse que ele me bateu. Ela não suportou isso, é um detalhe que poucas pessoas sabem”, contou.

Depois da separação dos dois, Rodrigo tentou se reaproximar do pai aos seis e aos nove anos de idade, mas a relação entre eles nunca foi de proximidade.

Em 2006, o comerciante chegou a abrir um processo contra Cid por abandono afetivo e pediu R$ 1 milhão na justiça, mas acabou perdendo. “Ele não quer ser meu pai. Eu perdi o processo e deixei quieto, não quis mais mexer nessa ferida”, disse, ressaltando que o comunicador pagou pensão alimentícia até ele atingir os 18 anos.

“Esse assunto me machuca demais, é parte da minha vida que eu gostaria de enterrar, mas não tem como. Sequelas ficaram disso e vão ficar pra sempre, eu amenizo e tento esquecer. Mas relembrando tudo isso eu não me sinto bem. Me machuca, não entendo que raiva ele tem de mim. Nunca fiz nada pra ele”, desabafou.

Rodrigo Moreira disse ainda sentir falta do afeto paterno e que gostaria do “impossível”, que é se sentir amado pelo próprio pai e conhecer os gostos do comunicador.

“Gostaria do impossível, que seria ele me abraçar, sair comigo, e eu saber um pouco dos gostos dele, o que ele gosta de comer. Uma convivência de pai pra filho, mas isso é impossível”, contou.

Em nota ao “Balanço Geral”, a assessoria do jornalista negou as acusações de que tenha agredido fisicamente o filho e atribuiu o fim de seu casamento com Olga aos ciúmes dela.

***
Redação Conti Outra, com informações de UOL TV e Famosos.
Fotos: Reprodução.

RECOMENDAMOS




LIVRO NOVO: FABÍOLA SIMÕES







As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.