Felipe Neto cria frente de advogados gratuita para defender processos por criticar Bolsonaro

O projeto "Cala a Boca Já Morreu" foi idealizado após youtuber ser intimado por suposto "crime contra a segurança nacional" ao chamar Bolsonaro de "genocida" nas redes sociais

Ana Carolina Conti Cenciani

Felipe Neto anunciou em seu Twitter que está organizando uma frente de advogados com o intuito de defender, gratuitamente, indivíduos que forem processados por criticar o presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

O grupo recebeu o nome de “Cala a Boca Já Morreu” e será composto por profissionais de escritórios renomados do Direito, como André Perecmanis, Augusto de Arruda Botelho e Davi Tangerino. A ideia é que qualquer pessoa que não tenha advogado possa utilizar o serviço, acionando equipes por meio de uma página na internet.

Twitter Felipe Neto

Antes de anunciar a nova iniciativa, Felipe fez outro tweet em sua rede social, sugerindo que algo estava por vir: “Preparem-se…Vem barulho por aí. Eu não ia aceitar isso calado mas nem a pau.”

 

A ideia do projeto surgiu após os acontecimentos dessa semana, quando Neto foi intimado, na última segunda-feira, 15, pela Polícia Civil do Rio de Janeiro a depor em investigação de suposto “crime contra a segurança nacional” ao chamar Bolsonaro de “genocida” em sua conta no Twitter. A denúncia foi feita pelo filho do presidente, Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ).

 

 

“O Cala-Boca Já Morreu será um grupo da sociedade civil que vai lutar contra o autoritarismo e que será movido pelo princípio de que quando um cidadão é calado no exercício do seu legítimo direito de expressão, a voz da democracia se enfraquece. Não podemos nos calar. Não podemos deixar que nos calem e não vamos”, afirmou o youtuber em nota.


Com informações de O Povo

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


COMPARTILHE

RECOMENDAMOS




LIVRO NOVO: FABÍOLA SIMÕES




COMENTÁRIOS




Ana Carolina Conti Cenciani
Ana, 20 anos, estudante de Artes Visuais na UNESP de Bauru. Trago aqui matérias que são boas de se ler.