Neste sábado (9), faleceu a bilionária gaúcha Lily Safra, aos seus 87 anos. A mulher estava em Genebra, na Suíça, e a causa da morte ainda não foi informada. O sepultamento será realizado na mesma cidade, na segunda-feira (11), às 10h.

Lily é viúva do banqueiro Edmond Safra, que faleceu em 1999, em um incêndio criminoso em Mônaco. O enfermeiro que cuidava do bilionário foi considerado culpado pela morte.

REPRODUÇÃO DA INTERNET/FACEBOOK

Parte do patrimônio da mulher foi deixado por ele. Ela acumulava uma fortura de US$ US$ 1,3 bilhão (cerca de R$ 5 bilhões), segundo a lista anual da revista Forbes.

Edmond foi o quarto marido de Lily e eles se casaram em 1976. Antes disso, ela já havia se casado com Mario Cohen e com Alfredo Monteverde, sendo o último, fundador do Ponto Frio.

Monteverde foi encontrado morto, em 1969, no próprio apartamento, com dois tiros. Depois disso, Lily assumiu os negócios e, em 2009, vendeu sua participação no Ponto Frio ao Grupo Pão de Açúcar (GPA), por R$ 824,5 milhões, o que ajudou a aumentar seu patrimônio.

Já em 2015, a viúva levou mais R$ 212 milhões em indenizações, além de juros e correção monetária, mas acabou ganhando a ação judicial contra o GPA, por ter se sentido prejudicada pela maneira pela qual foi feito o pagamento da venda.

Photo by Bertrand Rindoff Petroff

A mulher era filha de imigrantes russos e nasceu no Rio Grande do Sul. Desde pequena teve uma educação exemplar, aprendeu a falar inglês e francês ainda muito nova e gostava de se vestir com elegância e frequentar festas.

Aos seus 19 anos, conheceu seu primeiro marido, Mario Cohen, com quem teve três filhos: Adriana, Eduardo e Claudio, que morreu em acidente de carro em 1989.

No ano de 2008, Lily participou do que, até então, tinha sido a transação imobiliária mais cara do mundo, vendendo a mansão Vila Leopoldina, na Côte d’Azur, sul da França, por US$ 1,2 bilhão a um bilionário russo.

Em 2012, Lily realizou um leilão beneficente de suas joias, onde arrecadou US$ 37,5 milhões. O dinheiro seria utilizado nas pesquisas em busca de cura para enfermidades raras, como a doença de Parkinson, da qual Safra sofria.

Com informações de R7

RECOMENDAMOS




LIVRO NOVO: FABÍOLA SIMÕES







As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.