Uma das melhores maneiras de diminuir qualquer tipo de preconceito é a familiaridade com o assunto. É muito mais fácil rejeitar algo ou alguém que não conhecemos e com quem não temos nenhum tipo de vínculo do que afastar coisas, ideias, pessoas e até profissões que nos são rotineiras, comuns em nossa família, bairro e até núcleo de amigos. É aquela velha história: quando olhamos debaixo da cama percebemos que o mostro, fruto de nossos preconceitos, medos e imaginação, na verdade é muito menos assustador do que poderia parecer. Na maioria das vezes ele nem existe.

Henrique Albertasse é um homem de 26 anos que teve seus primeiros empregos ligados sempre à carros e fábricas. Há algumas semanas ele ainda dobrava jornada enquanto fazia a transição entre seu emprego de soldador na Honda e aprendia o trabalho de “nail designer”, com trabalhos que vão além da manicure comum, como o alongamento de unhas.

Instagram @henrique.albertasse

Henrique teve sorte, pois próximo a ele, em Hortolândia, ele tinha o exemplo da irmã que já trabalhava na área e, além de lhe gerar admiração, o estimulou a tentar um trabalho complementar que, após poucos meses, se tornou seu principal emprego.

“Eu saí do curso e pensei: é isso”

E não é que deu tudo certo!? Pois hoje Henrique, graças a seu novo ofício, muito trabalho, carisma e pioneirismo alcançou mais de 70 mil seguidores no seu Instagram.

A descrição do seu perfil já diz tudo: “incentivando homens a fazer alongamento” .
Junto com sua irmã Thais eles são agora os “Irmãos Nails”.

Instagram @henrique.albertasse

Com o pensamento pessoal de que ‘Preconceito é nosso, não das pessoas’ , ele vem desmistificando esse campo de atuação que ainda hoje é prioritariamente feminino e de que esse trabalho deve ser apenas “um bico”.

É isso aí Henrique! Arrasou Thais!

***

Com informações de Uol

Instagram @henrique.albertasse

RECOMENDAMOS




LIVRO NOVO: FABÍOLA SIMÕES







As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.