“Eu podia perder tudo menos ele”, diz pedreiro ao reencontrar seu cachorrinho após incêndio.

Quando o incêndio aconteceu, Seu Alcides não estava em casa, mas seu cachorrinho foi resgatado por vizinhos.

Ana Carolina Conti Cenciani

Há pouco mais de duas semanas, a casa do pedreiro Alcides Soares, de 58 anos, infelizmente foi destruída por um incêndio. Porém, mesmo com toda a tragédia que havia acontecido, Seu Alcides pôde comemorar o fato de que seu cachorrinho Quinho havia sobrevivido! Foi sua maior felicidade!

O ocorrido foi no bairro Planalto, na cidade de Natal (RN), e depois do incêndio Seu Alcides passou a ficar na casa da sua irmã Tânia. Os bombeiros ainda estão trabalhando para apurar o motivo do incidente.

“Isso pra mim foi tudo. Eu podia perder tudo, menos ele”, conta o pedreiro emocionado.

O reencontro com Quinho, o cachorrinho.

Seu Alcides não trabalha como pedreiro há muito tempo e por isso já fazem 5 anos que ele coleta de recicláveis para se sustentar. No dia do incêndio ele estava na rua trabalhando e não conseguiu salvar nada que estava em sua casa.

Quando ficou sabendo do incêndio, a primeira coisa que pensou foi em seu cachorrinho, que não tem parte da visão.

“Ele é mais que um filho para mim. Eu quase morri quando achei que ele tinha ficado preso em casa.”

Graças aos seus vizinhos, Quinho foi salvo e nada grave aconteceu com ele. Um dos responsáveis pelo resgate foi o vizinho João Maria, que trabalhava numa obra perto da casa de Seu Alcides e disse que o cão não foi atingido por pouco.

Foto: Klênyo Galvão/Inter TV Cabugi
Campanha para reconstruir a sua casa

Além de contar com a solidariedade dos vizinhos no resgate ao animal e no abrigo, o pedreiro também tem recebido ajuda para recuperar o que foi perdido.

Para ajudá-lo a construir a sua casinha, o Razões para Acreditar lançou uma vaquinha na VOAA. Clique aqui e contribua.

 

Com informações de Razões para Acreditar

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


COMPARTILHE

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS




Ana Carolina Conti Cenciani
Ana, 19 anos, estudante de Artes Visuais na UNESP de Bauru. Trago aqui notícias que são boas de se ler.