Perder o cabelo pode ser algo comum entre homens, mas entre as mulheres é algo um pouco mais raro. Nossa sociedade possui diversos paradigmas relacionados aos cabelos, felizmente, algumas mulheres já começaram a quebra-los ao utilizar cabelos curtos ou até mesmo raspados.

Mas, a história que vamos contar hoje é de uma jovem com alopecia, uma condição em que ocorre uma repentina perda de cabelo do couro cabeludo ou de qualquer outra região do corpo. Nesta doença, o cabelo cai em grandes quantidades em determinadas áreas, proporcionando a visualização do couro cabeludo ou da pele que antes era coberta.

Instagram / Sarah Broadhead

Foi isso que aconteceu com Sarah Broadhead. Como qualquer mudança, é claro que a princípio foi aterrorizante e a jovem entrou em uma fase de negação em que tentava de tudo para evitar que seu cabelo caísse.

Instagram / Sarah Broadhead

Sentia que estava perdendo uma parte importante de si mesma, pois era algo que definia sua autoestima e identidade, ao fazer penteados ou talvez pintar os seus cabelos.

Com o passar do tempo, os espaços foram ficando maiores, ela atribuiu isso ao estresse ou algum tipo de desequilíbrio hormonal. A pior parte, para ela, era compartilhar isso com o namorado, ela tinha que dizer a ele que estava ficando careca e mesmo que ela tivesse penteados que escondiam isso, não ia ser o suficiente com o tempo.

Foram tempos difíceis, ele acreditava que sua vida acabaria, o que aumentava o estresse e piorava seu estado, tudo isso no início de 2020.

Foi então que decidiu que era hora de dar um ultimato aos cabelos, a essa altura já havia procurado vários médicos e já estava cansada dessa situação. Então ele foi ao banheiro e pegou uma navalha, a próxima coisa que você pode imaginar.

“Foi em um ponto onde se eu não raspar minha cabeça na hora, eu surtaria e nunca o faria. Então eu fiz. A cada golpe da lâmina, eu chorava, mas também sentia uma sensação de liberdade e, ouso dizer, felicidade.”, conta Sarah Broadhead.

Instagram / Sarah Broadhead

Agora ela não só se sente livre, mas também bonita e, por meio do Instagram, ela conta como são os dias de sua vida com alopecia. O melhor de tudo, às vezes ela usa peruca e tudo bem, porque são momentos em que ela quer ser “outra pessoa”, mas sem esquecer que é careca.

Instagram / Sarah Broadhead

Agora ela está tranquila, tem o apoio do namorado e da família, eles gostam de vê-la tranquila e feliz com sua careca! Na verdade, ela ficou linda!

Instagram / Sarah Broadhead

Com informações de UPSOCL

RECOMENDAMOS




LIVRO NOVO: FABÍOLA SIMÕES







Ana, 20 anos, estudante de Artes Visuais na UNESP de Bauru. Trago aqui matérias que são boas de se ler.