Estudo revela impacto físico de um primeiro encontro amoroso

Para você que gosta de adrenalina essa informação é muito relevante. A Universidade de Wolverhampton, no Reino Unido, realizou uma pesquisa que com pessoas que usavam monitores de frequência cardíaca para medir as variações de pulso e descobriram que a média de batimentos cardíacos dos participantes submetidos a experiências como saltar de paraquedas e um primeiro encontro amoroso eram quase idênticos – 106 durante o primeiro encontro e 111 batimentos por minuto nos que faziam queda livre.

Duas mil pessoas foram estudadas e (54%) disseram que um primeiro encontro é uma experiência emocionante, mas apenas um em cada seis gosta desta adrenalina. O nervosismo foi apontado por um terço como fator determinante para abortar o encontro e 45% não souberam se comportar nessa situação.

A maioria dos participantes consideram o nervosismo um ponto forte e atrativo, 75% confirmaram que gostam da sensação e um em cada três afirmam que ficam envergonhados.

Quando nos colocamos na situação de adrenalina, o nosso corpo responde imediatamente e temos que nos esforçar para manter o controle, isso gera em nós uma aceleração cardíaca e tanto no amor quanto nos esportes radicais acabamos emitindo as mesmas frequências, não é demais?

Editorial CONTI outra

Imagem de capa: Eugenio Marongiu/shutterstock

COMPARTILHE

RECOMENDAMOS



CONTI outra
As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.

COMENTÁRIOS