Não é novidade que situações estressantes fazem com que fios brancos cresçam na nossa cabeça. Ainda em 1793, uma lenda diz que a rainha Maria Antonieta ficou com os cabelos completamente brancos na noite anterior à sua decapitação. Não foi à toa né?

Já é comprovado cientificamente que os grisalhos e do stress estão intensamente associados. Mas, pesquisadores americanos possuem uma boa notícia para os jovens que já sofrem com a aparição dos cabelos brancos.

Foto: Raw Pixel

Um novo estudo da Universidade de Columbia, em Nova York (Estados Unidos) foi publicado na revista científica eLife e revelou que quando a fonte de estresse é removida, o cabelo pode voltar à sua cor normal.

“Há décadas tentamos entender a influência do estresse no processo de aparecimento dos cabelos grisalhos, e este é o primeiro estudo que mostra uma ligação clara entre estresse psicológico e cabelos brancos”, explica Martin Picard, professor em Medicina Comportamental do Colégio de Médicos e Cirurgiões Vagelos, da Universidade de Columbia, e coautor do estudo.

Os pesquisadores responsáveis pelo estudo demonstraram a relação entre o stress e os grisalhos usando um método estuda a cor de cada cabelo em detalhes e quantifica a perda de pigmentação.

A equipe analisou os fios de cabelo de várias partes do corpo de 14 voluntários de diferentes idades. Os participantes tiveram que registrar seus níveis semanais de estresse em um diário.

Com a análise, foi observado que nos participantes mais jovens, quando o estresse desaparecia, o cabelo recuperava sua cor.

O estudo contou com um exemplo muito marcante de um homem que recuperou a cor de cinco dos fios analisados, após passar duas semanas em férias.

Martin Picard esclarece que a mudança de cor não ocorre quando o cabelo está fora do folículo piloso, mas quando “está crescendo dentro desse tipo de mini-órgão que fica sob a pele”.

O pesquisador também realçou que a perda de cor provavelmente se deve a alterações nas mitocôndrias, organelas celulares que fornecem a maior parte da energia para ativar as reações bioquímicas da célula.

“O estresse psicológico afeta os processos de energia nas mitocôndrias e, quando as mitocôndrias não funcionam bem, o cabelo perde pigmento”, explica.

Em alguns casos, o cabelo recupera sua cor apenas temporariamente, mas, isso não ocorre com todos, ainda mais se a pessoa tiver cabelos grisalhos há muito tempo.

“Quando a fonte de estresse é removida, o cabelo pode voltar e recuperar a cor anterior. Mas quando o cabelo ultrapassa esse limite há décadas, é altamente improvável que ele volte a ter outra cor”, acrescenta Martin.

Picard afirma que a pesquisa abre caminho para investigar quais outros processos ligados ao envelhecimento são influenciados pelo estresse e como eles podem ser revertidos.

Com informações de G1

RECOMENDAMOS




LIVRO NOVO: FABÍOLA SIMÕES







As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.