Esses noivos escolheram receitas de suas mães e avós para o jantar de casamento.

A ideia era que todos os convidados se sentissem parte da família nesta festa para celebrar o amor! Tem coisa melhor?

Ana Carolina Conti Cenciani

Ana e Marcelo Ortiz não queriam gastar milhares de reais em um bufê de luxo para seu dia especial, então se arriscaram e recorreram às receitas clássicas das mulheres de suas famílias. Um menu delicioso, caseiro e cheio de história!

Como é caro casar com alguém, né? Todo o processo de encontrar um bom lugar para a festa, o DJ, as atividades, o planejamento do evento… É muito cansativo e dói na carteira. Mas o que custa muito dinheiro é a comida dos convidados, que deve ser sempre absolutamente deliciosa.

No entanto, sempre existem alternativas mais baratas e de igual – ou melhor- qualidade; é uma questão de saber organizar tudo. Em 2019, o casal formado pelos brasileiros Ana e Marcelo Ortiz resolveu optar por um cardápio de casamento que eles conhecem muito bem: o preparado pelas mulheres da família.

A ideia era que todos os convidados se sentissem parte da família nesta festa de amor. Portanto, era lógico que procedessem com um cardápio caseiro, carregado com as iguarias que as avós dos noivos prepararam durante toda a vida. Especificamente, ofereceram o nhoque da avó (da noiva) Mariquinha e a sopa paraguaia da dona Estanisla, a mãe do noivo.

Notícias Campo Grande

Mas é claro que alguém tinha que cuidar da cozinha: as duas não podiam preparar toda a comida para tantos convidados. Por isso, eles mostraram cuidadosamente as receitas ancestrais para a equipe da cozinha contratada pelo casal.

Notícias Campo Grande

“No cardápio, descrevemos que as receitas eram especiais. A vovó Mariquinha é uma graça, ela nos ensinou tudo passo a passo e muito correto. Essas receitas de família personalizaram a festa e trouxeram muito amor; o sentimento do amor torna-se eterno através da gastronomia”, conta o responsável pelo catering do casamento.

E para tornar essa união ainda mais especial, o casal aproveitou as demais comemorações relacionadas ao casamento para experimentar outras receitas clássicas de família, como o yakisoba – macarrão frito – da mãe de Ana e o kubbe árabe de sua outra avó, Graça.

Você pode ver que, neste casamento, o que mais importou não foi a opulência do evento ou o investimento em detalhes ou refeições elaboradas; aqui, o amor e o carinho foram celebrados entre duas famílias que juntaram suas histórias para criar uma comum.

Notícias Campo Grande

Emocionante!

Com informações de UPSOCL

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


COMPARTILHE

RECOMENDAMOS




LIVRO NOVO: FABÍOLA SIMÕES




COMENTÁRIOS




Ana Carolina Conti Cenciani
Ana, 20 anos, estudante de Artes Visuais na UNESP de Bauru. Trago aqui matérias que são boas de se ler.