Esse artista pintou e enviou uma flor para cada pessoa que trabalha em um hospital. São 1.800 obras de arte!

Na luta contínua contra o coronavírus, qualquer ajuda ou demonstração de apoio é valiosa. Essa homenagem é a contribuição deste pintor e artista.

Ana Carolina Conti Cenciani

A pandemia do Covid-19 está sendo um verdadeiro teste para nossa espécie. Uma vez que não infecta os animais, tivemos de lutar nós próprios para nos mantermos à tona durante esta fase difícil. Muitas boas ações vieram à tona, mas infelizmente causada por um dos piores momentos da atualidade. É por isso que é melhor centrarmo-nos nas pessoas que nos mostraram que somos capazes de fazer a nossa parte e de ajudar quem mais precisa nestes tempos difíceis de doença e isolamento.

Há diversas maneiras de contribuição. Os profissionais de saúde são os heróis protagonistas que merecem toda a nossa admiração, mas qualquer um pode ajudar… Seja lá qual for sua profissão ou contribuição!

Assim surgem histórias como a do pintor nascido em Los Angeles, mas com o coração pertencente à Nova York: Michael Gittes. Este talentoso artista assumiu a tarefa de agradecer a cada pessoa que arrisca sua saúde com um gesto pessoal, fazendo sua parte para manter um hospital no Brooklyn funcionando.

O motivo que o estimulou a fazer o movimento foi saber que todas as pessoas que trabalham neste estabelecimento o fazem de forma voluntária. No tempo em que puderam ficar em casa assistindo à Netflix, preferiram ir para a linha de frente.

Não estamos dizendo que quem não o faz é menos, mas sim que dar um gesto de agradecimento ou de ajuda é muito valioso. Foi isso que Michael se propôs a fazer, pintando uma flor em tecido para cada um dos bravos voluntários.

Sua tarefa o levou a produzir uma serigrafia com 1.800 flores de várias cores, formas e desenhos. Estes foram encaminhados para o hospital em questão, onde foram recebidos pelas pessoas que aí trabalham. Todos os setores foram homenageados, como enfermeiras, médicos, cozinheiros e faxineiros, todos puderam voltar para casa com a amostra de que seu trabalho não é apenas valioso, mas que existem pessoas que se inspiram no que estão fazendo.

 

Ver essa foto no Instagram

 

End of a day during Strangers to No One project

Uma publicação compartilhada por Michael Arthur Gittes !! (@michaelgittes) em


É esse tipo de história que nos ajudará a superar esse momento difícil. Seja fazendo a sua parte no próprio trabalho, enviando apoios nas redes sociais ou mesmo colaborando para não espalhar falsas notícias. Juntos seremos mais fortes!

 

Com informações de UPSOCL

Para saber mais sobre o artista, acesse seu Instagram.

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


COMPARTILHE

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS




Ana Carolina Conti Cenciani
Ana, 19 anos, estudante de Artes Visuais na UNESP de Bauru. Trago aqui notícias que são boas de se ler.