Micheline Roquebrune, esposa de Sean Connery, que faleceu aos 90 anos neste fim de semana, disse ao Daily Mail que seu marido enfrentou a demência nos últimos meses de vida.

Segundo ela, o astro dos primriros filmes da franquia 007 “não conseguia se expressar” nos meses que antecederam sua morte. “Não era vida para ele”, revelou ela. “Pelo menos ele morreu durante o sono, foi embora em paz”.

Sean Connery e Micheline Roquebrune foram casados por 45 anos. De acordo com ela, o ator era um “modelo de homem” e que a vida seria “muito difícil sem ele”.

“Ele tinha demência, e a doença trouxe muito sofrimento”, disse Roquebrune. Mas ela acrescentou: “Ele foi atendido em seu último desejo de ir embora sem qualquer agitação”.

Demência é uma condição em que ocorre perda da função cerebral. É um conjunto de sintomas que afetam diretamente a qualidade de vida da pessoa, levando a problemas cognitivos, de memória, raciocínio e afetando, também, a linguagem, o comportamento e alterando a própria personalidade.

Aproximadamente 50 milhões de pessoas têm demência, e aproximadamente 10 milhões desenvolvem a condição a cada ano, de acordo com a Organização Mundial da Saúde. Os estágios iniciais geralmente incluem esquecimento e desorientação em lugares familiares (que podem evoluir para se perder dentro de casa), mudanças de comportamento e necessidade de ajuda com cuidados pessoais. Nos estágios finais da doença, a pessoa pode ter dificuldade para andar e reconhecer familiares e amigos.

***
Redação Conti Outra, com informações de Terra e Minha Vida.
Foto: Divulgação do filme 007.

RECOMENDAMOS




LIVRO NOVO: FABÍOLA SIMÕES







As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.