A era do narcisismo: A arrogância dos jovens frente à maturidade dos adultos

Artigo de Silvia Malamud

Com o pedido de imediatismo da nossa atualidade, somando-se ao clima competitivo e à enorme dificuldade de alcançarem status financeiro e visibilidade, jovens de hoje, reconhecidamente tornaram-se impacientes ao extremo.

Se quer se dão tempo suficiente para que minimamente alcancem uma estrutura interior de conhecimento, bem como para criarem as suas próprias histórias com alguma base. A maioria não dá devida importância às etapas de desenvolvimento, não honrando a herança de conhecimento de quem veio antes deles.

Quando abrem espaço para receberem opiniões diversas das suas sem se sentirem ofendidos ou reativos já é sinal de maturidade e um desenvolvimento de inteligência emocional onde não se sentem atacados ou diminuídos, entendendo que as pessoas podem ter ideias e vivências diferentes das deles e que estas também podem ser válidas.

Hoje em dia determinados setores dão ênfase aos jovens que são chamados como ”sabedores das ruas”, fator importante, mas que de modo algum se sobrepõe ao conhecimento adquirido em estudos por intermédio daqueles que pensaram, vivenciaram e fizeram antes desses impetuosos jovens.

Como marca dessa nova geração, a arrogância narcísica é o que tem imperado. A grande dificuldade de receberem qualquer tipo de percepção de quem já fez e construiu é o grande impedidor para que eles próprios se sintam em paz e seguros no que fazem. Não há tempo para uma reflexão e ficam ofendidos com qualquer olhar que os denuncie em seus movimentos muitas vezes ainda rasos. Reativos e enfurecidos, vão para o ataque num movimento desrespeitoso a quem quer que seja e que esteja minimamente fazendo observações com um histórico diferente dos seus.

São jovens ditadores que se encontram ilhados num território de fundo falso em que existe um receio de não ser bom o suficiente e a negação deste sentimento. Medos fazem parte da vida e jamais deveriam ser colocados à parte. Saber ouvir e poder agregar é para aqueles que ousam apenas serem humanos.

Na contra mão, jovens narcisistas, facilmente se ofendem e julgam como sendo inimigos aqueles que lhes oferecem ideias e ideais diferentes dos seus. Estes sim, estão presos nas armadilhas de seus frágeis egos.

É fato que todos nós somos reflexo de algo que vivenciamos como em relação às etapas de desenvolvimento e isso inclui certamente o modo como os jovens são criados. Pais negligentes, técnicos em dar afeto mas não totalmente presentes e uma infinidade de outros aspectos com toda certeza influenciam. O sistema político também influencia , tudo influência por isso mesmo a importância do despertar para que se possa literalmente desgrudar das telas que são nocivas e criar identidade própria. O sistema também dificulta muito em alguns casos, jovens que precisam de trabalhar por exemplo e como tem muitos, alguns lugares lhes sugam a alma literalmente. Tem de tudo. Este artigo é apenas um recorte entre tudo o que existe.

Aqueles que conseguem entrar em contato com a diversidade e fazer reflexões sem se sentirem criticados, julgados ou ressentidos saem ganhando. Já são vencedores e certamente terão muito mais chance de conquistar o que desejarem.

Quanto mais despertos, melhor!

***

Silvia Malamud é Psicologa especialista em abuso emocional – EMDR/ Brainspotting

Autora do livro Projeto Secreto Universos e Sequestradores de Alma. Conheça o site oficial.

Imagem de capa: Jose AS Reyes/shutterstock

COMPARTILHE

RECOMENDAMOS



CONTI outra
As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.

COMENTÁRIOS