Entre linhas e cores, artista paraense traduz sentimentos com ilustrações que transbordam sensibilidade

Com a combinação perfeita entre o visual e o textual, a artista paraense Gabriele Lopes transita entre a arte e a reflexão e nos proporciona uma viagem em sua criatividade.

Ana Carolina Conti Cenciani

Seu nome é Gabriele Lopes, uma artista paraense de 24 anos que hoje nos surpreende com a delicadeza de suas ilustrações. As cores predominantemente claras e pastéis nos transmitem uma sensação de positividade, leveza e zelo.

Gabriele conta que sua inspiração aconteceu quando teve contato com Mary Cagnin, artista que dá dicas em seu canal no Youtube.

“Foi vendo os vídeos dela que comecei na aquarela, fui estudando sozinha mesmo, tinha pouca noção de desenho, mas adorava fazer aquarelas neles e era o que dava vida e um pouco da minha identidade”, completa a ilustradora.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por (In) Sônia (@heyinsonia) em

Além disso, em 2018 a Gabriele passou a cursar Artes Visuais, o que, segundo ela, ajudou ainda mais em sua carreira artística.

“Dei um passo a mais e comecei a expor sem medo de julgamentos, o que foi ótimo”, completa.

Atualmente, a artista transferiu seu curso para Design na Universidade Federal de Uberlândia e passou a focar sua produção em ilustrações gráficas, sempre aperfeiçoando sua habilidade e com o objetivo de trabalhar com animação, que é sua paixão.

A artista posta seus desenhos no Instagram que é repleto de conteúdo. A ilustradora conta que queria colocar sempre um pouco de si em seus desenhos, e junto falava sobre seus sentimentos, sobre relacionamentos abusivos, filmes e séries, feminismo, sexualidade, música e até mesmo algumas piadas sobre situações da vida.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por (In) Sônia (@heyinsonia) em

Hoje, ela possui uma parceria com sua prima Tanmires Aranchas, que escreve os textos que compõe as legendas. Assim, as duas conseguiram encontrar o equilíbrio entre o trabalho visual e textual.

“Decidimos criar uma página juntas sobre a vida da personagem Sônia, por isso a página se chama ‘(In) sônia’, o combinado era eu desenhar e a Tanmi escrever as histórias”, conta a artista à CONTI outra.

Assim, Gabriele e Tanmires conseguiram criar uma página mais do que única que une arte, cores e poesia com indicações e reflexões.

Uma explosão de arte os espera. Confiram a amostra do que vocês não podem perder.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Texto: @aranchas__ Só sei falar de Fleabag atualmente. Fleabag é uma série de televisão britânica criada por Phoebe Waller-Bridge (QUE MULHER). Uma jovem que mora em Lodres, tem um café cafona e falido, com uma vida sexual voraz e confusa. No total são 02 temporadas cada uma com 12 episódios, duração de 23-28 minutos. Nos primeiros minutos da série você fica tímida, se pergunta se deve continuar a assistir, rola uma certa estranheza – tipo um primeiro encontro – só que alguns minutos depois acontece um dos melhores mecanismos de direção: A QUEBRA DA QUARTA PAREDE. Aí queridinha, você vai sentar e ficar completamente compenetrada (😏). Fleabag te olha diretamente nos olhos e fala coisas que sua mãe, amiga, irmã não te contaria – principalmente sobre sexo e homens. Mas não é só contar uma historinha de um encontro casual e sim poder ver situações que acontecem sequencialmente com muitas mulheres. Como por exemplo o ex namorado que sempre quando terminava deixava algo na casa para voltar e buscar – em um dos episódios ele deixa o dinossauro. Tudo bem, não devemos olhar só da pesperctiva direta mas sim de um todo, quantas vezes tentamos sair de algum relacionamento ou situação mas sempre vai ficar um resquício do que não foi dito ou do que não foi feito e aí voltamos atrás. E falar com franqueza dos sentimentos e da sexualidade de uma mulher é complexo, entretanto o tom cômico do começo ao fim na série deixa tudo mais leve. Uma cena muito boa é quando a Fleabag leva seu “ficante” para comprar um acessório sexual de presente para sua irmã. Enquanto ela e a vendedora estão trocando informações sobre a preferência do objeto o cara está acanhado. Claro, a série não cria estereótipos, sendo muito clara com vários aspectos das relações casuais ou unilateral. Embora o prazer feminino seja sempre uma parte do debate. Como por exemplo na cena em recebemos um soco no estômago, aonde a personagem trasfere um ar de fracasso sentada no seu café falido, abandonada pela seu pai e sua irmã, confessando que o que lhe resta agora é apenas seu corpo. Eu me identifiquei muito com isso, dói em dizer. CONTINUAÇÃO COMENTÁRIOS…

Uma publicação compartilhada por (In) Sônia (@heyinsonia) em

 

Ver essa foto no Instagram

 

Hoje a minha dica de série será da Netflix. A série chama-se Expresso do Amanhã, por motivos que se passa dentro de um trem que não tem parada alguma. Esse trem foi criado para que a sociedade não morresse devido ao congelamento da terra. Porém como infelizmente existe seleção entre a classe alta, média e baixa somente quem pode comprar as passagens foram as de classe alta e média. Porém no dia da partida houve uma invasão da classe baixa, pois não tinham passagens mesmo assim lutaram pela sobrevivência. Devido a isso as condições de cada vagão são diferentes: “e o motivo todo mundo já conhece, é que o de cima sobe e o de baixo desce”… A série baseia-se no filme Expresso do Amanhã de Bong Joon-ho (também criador do filme Parasita) e também inspirada na HQ O Perfuraneve (Le Transperceneige). ASSISTAM, vale muito a pena a reflexão ♥️

Uma publicação compartilhada por (In) Sônia (@heyinsonia) em

 

Ver essa foto no Instagram

 

De todas as séries que assisti concluí que Broad City foi a minha favorita, a série possui 5 temporadas e é daquele tipo que a gente assiste numa lapada só. • Trata-se de duas melhores amigas (Abbi e Ilana) e seu cotidiano que é mostrado na cidade de New York. É muito engraçado como a vida delas é contada na série, vai desde aquela cena que a gente mais se identifica por ser coisas normais da vida até aquela que a gente pensa “puta merda, quanto exagero” mas que dá boas risadas e ao mesmo tempo faz a gente tirar um peso das costas de que ser adulto não precisa se cobrar tanto, pode ser que você consiga uma grande conquista na vida ou que você seja só um adulto normal vivendo sem se cobrar ou até mesmo se comparar. • A série é cheia de assuntos misturados, sobre: feminismo, drogas, vida profissional, arte, sexualidade, entre outros. Termina que viajamos muito dentro da cabeça das duas e nos apegamos demais as personagens e a amizade delas e compartilhando sentimentos diversos. • Broad City antes de virar uma série de tv fazia vídeos curtos no YouTube e tinha o nome de Hack Into Broad City no canal Comedy Central, as histórias escritas por Abbi Jacobson e Ilana Glazer chamou tanta atenção que virou uma série perfeita. • Se você chegou até o final desse texto e está curioso para assistir e não sabe onde (pois infelizmente não tem em nenhum streming) pode me mandar um direct pedindo o link e eu mando para você ou até sugiro lugares para assistir 🙂 #broadcity #broadcitymemes #broadcitybitch #broadcitydragbrunch #broadcityfanart #broadcitylive #broadcityfinale #broadcitynocomedy #broadcitystyle

Uma publicação compartilhada por (In) Sônia (@heyinsonia) em

 

Ver essa foto no Instagram

 

CAPITÃO FANTÁSTICO 🥁 É o primeiro filme dessa lista ilustrativa que fiz, há diversos motivos para te fazer assistir, porém se eu contar todos vou dar spoiler, então vou contar um pouquinho sobre ele sem precisar fazer isso: • É uma história cheia de reflexões sobre como lidamos com nossas vidas. O filme se passa entre os personagens: pai e mãe e mais 6 filhos que vivem em uma floresta, os pais são ativistas liberais que vão passando seus conhecimentos a eles através de livros e experiências da vida, os ensinam a sobreviver dentro de uma floresta, eles passam por vários treinamentos para aprenderem, caçando, fazendo sua própria comida, suas roupas. Diversos aprendizados não são medidos pela idade das crianças e elas já aprendem um modo avançado sobre tudo, inclusive a ter suas próprias opiniões sobre as coisas que aprendem e não somente decorá-las. Certo dia a mãe teve que voltar a cidade grande para tratar um transtorno bipolar e terminou não resistindo e se matando (não é um spoiler, tem no trailer), o pai dela proíbe o pai das crianças de irem ao enterro pois o culpa de sua morte e o ameaça de mandar prendê-lo e tirar a guarda das crianças. Inconformados com a decisão do avô as crianças tentam convencer o pai de levarem elas para dar um último adeus a mãe. • Assistam esse filme PELO AMOR DE TODAS AS COISAS BOAS DA VIDA, assistam, indiquem, mostrem aos seus filhos e desfrutem de cada palavra e conhecimento passado nele ♥️

Uma publicação compartilhada por (In) Sônia (@heyinsonia) em

 

Ver essa foto no Instagram

 

Me encaixo em meus padrões

Uma publicação compartilhada por (In) Sônia (@heyinsonia) em

 

Ver essa foto no Instagram

 

Nossa palavra principal é RESISTÊNCIA 💕

Uma publicação compartilhada por (In) Sônia (@heyinsonia) em

 

Ver essa foto no Instagram

 

Recadinho com arte para nossa sexta cheia de luz ✨

Uma publicação compartilhada por (In) Sônia (@heyinsonia) em

 

Ver essa foto no Instagram

 

AONDE SEUS SONHOS DE INFÂNCIA SE PERDERAM? Faça uma pergunta para si mesmo: “o que aconteceu no percurso para ser quem sou hoje em dia?” (Escreva sobre, se necessário). Acessa aquela caixinha de lembranças que fica arquivada atrás dos boletos, responsabilidades e memes. Usa esse tempo para questionar-se: eu me comprometi em realizar meus sonhos mais doces e incríveis de infância, ou vivi para agradar vontades de terceiros? Propondo isso, baseado na experiência de ter assistido Loja de Unicórnio. Que transmite uma mensagem entre o lúdico e o real. Em certos aspectos ficamos presos a perguntas que vão surgindo no decorrer do filme. Em outro momento ficamos presos ao recurso visual, as cores, ao drama e as doses de encantamento. Direção de Brie Larson, conhecida por nada mais nada menos, que Capitã Marvel. Nesse filme, o único super poder que ela emprega é em torno da vontade de cada adulto voltar um pouquinho pro seu mundo encantado. Ela também interpreta Kit, que nessa jornada ao lado do Vendedor (Samuel L. Jackson) cria uma jornada do heroi totalmente avessa. Frases acolhedoras: “Dentro de você, há uma superestrela em algum lugar. Só precisamos tirar todas essas camadas e liberta-lá.” “A coisa mais adulta que você pode fazer é falhar no que gosta.” Texto: @aranchas__ #art #arte #drawing #ilustração #lojadeunicornios #unicornstore

Uma publicação compartilhada por (In) Sônia (@heyinsonia) em

Para saber mais sobre a artista, acesse seu linktree

 

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


COMPARTILHE

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS




Ana Carolina Conti Cenciani
Ana, 19 anos, estudante de Artes Visuais na UNESP de Bauru. Trago aqui notícias que são boas de se ler.