Engenheira cria celular com discagem rotativa e sem internet para não precisar mais usar smartphone

Ela detesta receber mensagens o tempo todo e se sentir na obrigação de responder a todos com prontidão, por isso resolveu abolir de vez o uso de smartphones. Para isso, criou seu próprio celular, com discagem giratória e sem internet. Simples, prático e funcional!

REDAÇÃO CONTI outra

Dados da 30ª Pesquisa Anual de Administração e Uso de Tecnologia da Informação, realizada pela Fundação Getúlio Vargas de São Paulo (FGV-SP) e divulgada em abril de 2019, revelam que o Brasil tem dois dispositivos digitais por habitante, incluindo smartphones, computadores, notebooks e tablets. As novas tecnologias estão tão bem incorporadas ao nosso atual estilo de vida que há quem entre em desespero se notar que saiu de casa sem o seu smartphone à mão.

Entretanto, com o mundo digital demandando cada vez mais tempo da nossa rotina, há quem já comece a sentir saudade dos tempos em que as mensagens chegavam por meio de cartas e as reuniões entre amigos aconteciam em uma mesa de bar e não por meio de redes sociais. Um bom exemplo disso é a engenheira Justine Haupt, de 34 anos, que detesta mensagens de texto e smartphones complicados demais, e por isso criou seu próprio telefone celular com um dial rotativo.

All photos by SWNS

Justine levou três anos para desenvolver um dispositivo old school que coubesse no seu bolso, obtivesse melhor recepção de sinal e mantivesse a bateria com carga de até 30 horas. O resultado de seus esforços é um produto que reúne o melhor do sistema analógico: prático e funcional. E apenas isso!

Quando a engenheira escreveu sobre o celular retrô em seu blog, o site caiu devido ao grande número de visitantes que clamam por um dispositivo parecido para fugir do “aprisionador” mundo digital.

Justine recebeu tantos pedidos de colegas implorando por sua própria versão do telefone que ela agora está oferecendo kits para que as pessoas montem seu próprio dispositivo.
A engenheira de instrumentação em astronomia do Laboratório Nacional Brookhaven, em Nova York, diz que foi inspirada a fabricar o telefone porque não gosta da cultura e do design dos smartphones.

All photos by SWNS

“Trabalho com tecnologia, mas não gosto da cultura dos smartphones”, diz Justine. “Não gosto da ideia de estar à disposição de alguém e ligar a cada momento e não preciso ter esse nível de acesso à internet.

“Eu nunca enviei uma mensagem e a construção deste telefone foi em parte para que eu tivesse uma boa desculpa para não enviar uma mensagem. Agora posso segurar o telefone e dizer: ‘Não, não posso enviar mensagens de texto’. ”Embora Justine tenha comprado um smartphone Samsung Galaxy para sua mãe e brincado com ela, ela disse que se livrou do dispositivo depois de um mês.

“Pensei em tentar, mas durou menos de um mês antes de voltar para o meu telefone flip”, ela lembrou. “Sou engenheira, adoro tecnologia, mas o telefone não é do jeito que eu quero.”

Ela também não é fã da interface ou da tela de toque do smartphone. “É absolutamente horrível”, acrescentou. “Quando você abre um aplicativo e deseja que ele desapareça, não sabe se ele fechou ou não. – isso me.”

O apreço de Justine por discadores giratórios inspirou seu projeto.

All photos by SWNS
Justine Haupt’s self made mobile phone with a rotary dial. Long Island, New York. Space engineer Justine Haupt, 34, has created a rotary dial mobile phone due to her dislike of the hyper connectivity associated with the smartphone generation of phones. See SWNS story SWNYphone. A space engineer has built her own cell phone with a ROTARY DIAL because she despises smartphones and texting. Justine Haupt, 34, spent three years creating the old school device which fits into her pocket with a battery that lasts up to 30 hours. When she wrote about the retro cell phone on her website, so many people visited the post that her site crashed. Justine has since been inundated with requests from fellow smartphone haters begging for their own version of the phone and she is now offering build-it-yourself kits.

“Eu tinha um telefone flip há muito tempo e tecnicamente ele pode enviar mensagens de texto, então eu queria um telefone ainda mais estúpido. Pensei: ‘por que não fazer um telefone com discagem rotativa?’ ”, disse a engenheira.

Justine usou uma impressora 3D para criar a capa do telefone celular e adicionou botões de discagem rápida para ligar para o marido, David Van Popering, e sua mãe, Lorraine, com apenas um clique.

“Se eu quiser ligar para o meu marido, posso ligar para ele pressionando um único botão”, diz Haupt. “Posso ligar para as pessoas mais rapidamente neste telefone do que no meu telefone antigo. Em casos raros, quando desejo ligar para um novo número, uso o botão rotativo e é uma experiência tátil e divertida.”.

Com a nova invenção, Justine Haupt se soma ao já numeroso grupo de pessoas que decidiram reduzir ou abolir de vez o uso de smartphones. E você o que acha da ideia?

***

Redação CONTi outra. Com informações de goodnewsnetwork.

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


COMPARTILHE

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS




REDAÇÃO CONTI outra
As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.