Enfermeira que tomou 1ª vacina na Itália diz sofrer ameaças: “Vamos ver quando você morre”

Por conta das ameaças, Claudia teve que bloquear todos os seus perfis oficiais nas redes sociais na véspera do 'Dia V', uma data simbólica que marcou o início da imunização na União Europeia em 27 de dezembro.

CONTI outra

A enfermeira italiana Claudia Alivernini, de 29 anos, foi a primeira pessoa a receber a dose da vacina da farmacêutica Pfizer e do laboratório alemão BioNTech na Itália. O fato, entretanto, gerou consequências negativas para ela. Segundo o jornal italiano Il Messaggero, a enfermeira foi alvo de ameaças e insultos nos últimos dias.

Por conta das ameaças, Claudia teve inclusive que bloquear todos os seus perfis oficiais nas redes sociais na véspera do ‘Dia V’, uma data simbólica que marcou o início da imunização na União Europeia em 27 de dezembro.

Ainda segundo a reportagem do jornal italiano, diversas contas falsas utilizando o nome e imagem de Alivernini foram criados desde que ela excluiu seus perfis oficiais nas redes sociais.

Enfermeira Claudia Alivernini recebe dose da Pfizer/BioNTech no hospital Spallanzani, em Roma

Além disso, usuários atacaram a enfermeira com frases pejorativas nos perfis institucionais que publicaram notícias de sua vacinação. “E agora vamos ver quando você morre” é uma das mensagens.

A enfermeira está cogitando abrir uma denúncia contra os internautas. Com 29 anos e licenciada em ciências da enfermagem, ela tem estado na linha de frente contra a covid-19 desde o início da pandemia.

Em sua conta no Twitter, o prefeito de Florença, Dario Nardella, lamentou a situação de Claudia. “As ameaças de morte a Claudia Alivernini, a primeira enfermeira vacinada na Itália, são inaceitáveis e vergonhosas. A ela e a todos os que estão sendo ofendidos e intimidados, nossa total solidariedade”, escreveu ele.

Diversas outras figuras da política na Itália, incluindo membros do Força Itália, também se solidarizaram com a profissional de saúde e afirmaram que as ofensas são “atos ignóbeis” e “inaceitáveis”.

A Itália iniciou a vacinação contra o novo coronavírus Sars-CoV-2 no último domingo (27), assim como praticamente todos os países da União Europeia (UE), no Instituto Lazzaro Spallanzani, de Roma. Depois da enfermeira, foram vacinados o operador sanitário Omar Altobelli e a diretora do laboratório de virologia do Spallanzani, Maria Rosaria Capobianchi, no mesmo local.

***
Redação Conti Outra, com informações de Terra.
Foto: Regione Lazio / Reuters.

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


COMPARTILHE

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS




CONTI outra
As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.